Mundo

Vários feridos em tiroteio em escola em Washington

@TheChristinaXX/twitter

Um tiroteio esta quarta-feira numa escola secundária no estado norte-americano de Washington causou vários feridos, anunciaram os bombeiros locais, que garantiram que a ameaça "foi eliminada".

As vítimas foram levadas para o hospital, revelou um responsável dos bombeiros de Spokane, Brian Schaeffer, sem especificar quantos feridos nem o seu estado.

As autoridades apenas garantiram que a ameaça "foi eliminada", mas não adiantaram detalhes sobre o autor do tiroteio.

O tiroteio na escola, situada em Rockford, a sul de Spokane, ocorreu pelas 10h15 da manhã (15h15 em Lisboa), quando as aulas estavam a começar, descreveu uma mãe, que observou as crianças a fugirem para dentro dos edifícios.

Foram enviados para o local várias ambulâncias e um helicóptero.

Todas as escolas do distrito de Spokane foram encerradas, como medida de precaução, mas entretanto esse encerramento foi levantado.

Lusa

  • Marcelo assinala "passos importantes" na Cimeira da CPLP
    2:16
  • Manuel Pinho quer que inquérito do caso EDP seja atribuído a outros procuradores
    2:53

    País

    Manuel Pinho quer que o inquérito do caso EDP seja atribuído a outros procuradores. Numa carta enviada ao diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal, a defesa do ex-ministro da Economia acusa os magistrados de imparcialidade, realçando como os procuradores do inquérito inviabilizaram as datas alternativas apresentadas pelo advogado.

  • "Os Maias" deixam de ser leitura obrigatória no secundário

    País

    Obras como "Os Maias" e "A Ilustre Casa de Ramires", de Eça de Queirós, vão deixar de ser de leitura obrigatória no ensino secundário a partir do próximo ano letivo. Os alunos deixam de ter indicação de uma obra específica para ler, passando o professor a escolher livremente uma obra de cada autor. O objetivo é fazer face aos programas extensos.

  • Santana diz que a concorrência é livre
    0:52

    País

    Santana Lopes sublinha que quer causar o menor dano possível ao PSD com a criação de um novo partido. O antigo primeiro-ministro diz no entanto que, apesar disso, a concorrência é livre. Isto depois de um estudo feito pela Eurosondagem mostrar que 4,8% dos inquiridos votaria num novo partido de Santana Lopes. O político diz que o número é inspirador, mas não adianta certezas sobre os próximos passos.

  • "Eu disse 'seria' quando queria dizer 'não seria'"
    1:34