sicnot

Perfil

Mundo

Mais um recado da Coreia do Norte para os EUA 

A Coreia do Norte classificou hoje como "um sonho irrealizável" o desejo norte-americano de pôr fim ao programa nuclear norte-coreano e defendeu o seu "direito legítimo" a lançar "satélites espaciais".

"Os nossos lançamentos de satélites são um exercício legítimo de um direito reconhecido pela Carta das Nações Unidas" e baseiam-se na "lei internacional sobre o uso pacífico do espaço", pode ler-se num artigo publicado hoje pelo diário oficial norte-coreano Rodong Sinmun, citado pela Efe.


A comunidade internacional vê estes lançamentos como ensaios de mísseis encobertos.


No artigo, Pyongyang diz que continuará a promover o seu "desenvolvimento pacífico" de programas espaciais "em linha com a tendência internacional", referindo outros lançamentos de foguetes equipados com satélites realizados este ano por países como a Argélia ou a Venezuela.


O Conselho de Segurança da ONU impôs na sexta-feira, por unanimidade, novas sanções à Coreia do Norte em resposta ao ensaio, no final de novembro, de um míssil balístico intercontinental que poderá atingir território dos Estados Unidos.
Os 15 Estados-membros do Conselho de Segurança aprovaram por unanimidade uma resolução proposta pelos Estados Unidos, que endurece as amplas sanções internacionais contra o regime de Kim Jong-un.


As novas sanções incluem sérias restrições ao envio de produtos petrolíferos para Pyongyang e a repatriação dos norte-coreanos que trabalham no estrangeiro, e cujos rendimentos beneficiam o Governo do país.


"Definimos esta 'resolução de sanções' arranjada pelos EUA e os seus seguidores como uma grave violação da soberania da nossa República, como um ato de guerra que viola a paz e a estabilidade na península coreana e na região e rejeitamos categoricamente a 'resolução'", disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte no comunicado.


O Ministério disse que as sanções equivalem a "um completo bloqueio económico" da Coreia do Norte.


"Se os EUA desejam viver em segurança, devem abandonar a sua política hostil contra a RDPC [República Democrática Popular da Coreia, o nome oficial da Coreia do Norte] e aprender a coexistir com o país que tem armas nucleares e devem acordar do seu sonho irrealizável de o nosso país desistir das armas nucleares que desenvolvemos e completámos com todo o tipo de dificuldades", lê-se no comunicado, divulgado pela agência oficial norte-coreana e citado pela AP.


Em 2017, a ONU endureceu por várias vezes as sanções contra a Coreia do Norte em resposta ao incremento dos ensaios nucleares e de mísseis concretizados pelo regime.


As sanções aprovadas na sexta-feira são uma resposta ao ensaio realizado em finais de novembro, quando foi utilizado um míssil balístico mais avançado.
Segundo Pyongyang e numerosos especialistas, o projétil tem capacidade para alcançar todo o território continental dos Estados Unidos.

Lusa

  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • Democratas aceitam compromisso para acabar com shutdown nos EUA

    Mundo

    Os senadores democratas aceitaram esta segunda-feira um acordo orçamental provisório que vai permitir acabar com a paralisação parcial do Governo federal dos Estados Unidos, situação conhecida como shutdown, anunciou o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer.

  • O jogador de futebol que se tornou Presidente de um país

    Mundo

    George Weah tomou posse esta segunda-feira como Presidente da Libéria. Foi a segunda vez que o antigo futebolista concorreu ao cargo, depois de em 2005 ser derrotado pela candidata Ellen Johnson-Sirleaf. Foi o primeiro e único futebolista africano a receber uma Bola de Ouro. A história de George Weah também passou por Portugal, onde ficou conhecido pela agressão ao ex-jogador do FC Porto, Jorge Costa, em 1996.

    Ana Rute Carvalho

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC