sicnot

Perfil

Mundo

Raides aéreos do regime sírio matam 23 civis perto de Damasco

Foto fornecida à AP pelo grupo de defesa de direitos civis sírio White Helmet mostra a busca por sobreviventes após mais um ataque contra Ghouta, a 5 de fevereiro de 2018

White Helmets/ AP

Pelo menos 23 civis, incluindo quatro crianças, morreram hoje em ataques aéreos conduzidos pelas forças do regime sírio em várias localidades de Ghouta oriental, região rebelde próxima de Damasco, divulgou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Os raides mais mortíferos visaram a localidade de Beit Sawa, onde nove pessoas, incluindo duas crianças, morreram num mercado, precisou a organização não-governamental, com sede em Londres.

O regime sírio liderado pelo Presidente Bashar al-Assad bombardeia quase diariamente a região de Ghouta oriental.

Cercados desde 2013 pelas forças do regime, os perto de 400 mil habitantes desta zona rebelde (um subúrbio da capital síria) enfrentam uma grave crise humanitária, marcada pela escassez de alimentos e de medicamentos.

Nas últimas semanas, o regime de Damasco tem sido acusado de realizar vários ataques químicos nesta região.

A 22 de janeiro, o OSDH relatou 21 casos de sufocação, enquanto habitantes e fontes médicas locais relataram um ataque com gás cloro.

Na sexta-feira passada, o secretário da Defesa norte-americano, Jim Mattis, chegou a declarar que os Estados Unidos temiam que gás sarin tivesse sido utilizado recentemente na Síria. Acusações que foram rejeitadas pelo regime de Bashar al-Assad.

Em reação aos raides aéreos realizados pelas forças governamentais, os rebeldes de Ghouta oriental têm disparado regularmente tiros de morteiro sobre Damasco.

Uma mulher morreu e outras três pessoas ficaram feridas durante ataques conduzidos hoje pelos rebeldes contra a capital síria, segundo indicou a agência de notícias oficial Sana.

Desencadeado em março de 2011 pela violenta repressão do regime de Bashar al-Assad de manifestações pacíficas, o conflito na Síria ganhou ao longo dos anos uma enorme complexidade, com o envolvimento de países estrangeiros e de grupos jihadistas.

Num território bastante fragmentado, o conflito civil na Síria provocou, desde 2011, mais de 350.000 mortos, incluindo mais de 100 mil civis, e obrigou milhões a abandonarem as respetivas casas.

Lusa

  • Presidente do Tondela diz que clube foi humilhado
    1:26

    Desporto

    O presidente do Tondela participou esta segunda-feira na conferência de imprensa após o jogo da 23.ª jornada da I Liga com o Sporting. Gilberto Coimbra criticou o árbitro do encontro João Capela, e diz que o tempo de compensação dado a mais foi por uma falta que não foi assinalada sobre um jogador do Tondela, Bruno Monteiro.

  • Último golo do Sporting ao Tondela "é legal e limpinho" 
    0:41

    Desporto

    Jorge Jesus entende que a vitória desta segunda-feira do Sporting frente ao Tondela não merece contestação e destaca o facto de o árbitro ter avisado os jogadores que iria prolongar o tempo extra. Para o treinador dos leões, o golo no minuto 99' é legal. 

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC