sicnot

Perfil

Mundo

Tiroteio em frente à sede da NSA não terá ligações terroristas

O FBI afirmou esta quarta-feira que o tiroteio em frente à sede da NSA, uma das agências norte-americanas de serviços secretos, não parece ter "ligações ao terrorismo".

O tiroteio ocorreu quando um veículo tentou entrar na sede da National Security Agency (que está encarregada, por exemplo, da monitorização das comunicações consideradas perigosas para a segurança dos Estados Unidos).

As três pessoas que se encontravam a bordo do veículo foram detidas, e uma delas foi hospitalizada na sequência do incidente, explicou Gordon Johnson, o agente do FBI encarregado do caso.

"Pouco depois das 07:00 desta manhã (12:00 em Lisboa), um veículo tentou entrar sem autorização nas instalações seguras da NSA em Fort Meade, no Maryland", declarou a agência em comunicado, salientando depois que a situação esteve sempre "sob controlo" e que "já não existe qualquer ameaça" à segurança do local.

"Foram disparados alguns tiros (...) Várias pessoas foram transportadas para o hospital, mas os primeiros elementos da investigação não indicam neste momento que os ferimentos se deveram a armas de fogo", salientou a NSA.

Pouco depois do tiroteio, a cadeia de televisão NBC Washington difundiu imagens de um veículo todo-o-terreno SUV preto, com impactos de bala no para-brisas e esmagado contra as barreiras de betão que protegem a entrada no altamente protegido complexo da NSA.

"Podemos confirmar que uma pessoa ficou ferida mas não sabemos em que circunstâncias", indicou um porta-voz de Fort Meade à agência francesa AFP.

O complexo militar de Fort Meade, a cerca de meia-hora de carro de Washington, é um dos locais com maiores níveis de segurança nos EUA.

A cadeia de televisão local ABC 7 News deu conta de três pessoas com ferimentos de bala e apenas um suspeito detido.

Lusa

  • "Tudo é arrancado a ferros" a Espanha sobre mina de urânio, diz o Ministro do Ambiente
    0:40

    País

    O Ministro do Ambiente disse esta quarta-feira, no Parlamento, que Espanha não está a cumprir o protocolo ibérico que se aplica às avaliações de planos, programas e projetos com efeitos transfronteiriços. A propósito dos pedidos de informação enviados pelas autoridades nacionais ao Governo espanhol sobre o projeto de exploração de urânio em Retortillo, Salamanca, a poucas dezenas de quilómetros da fronteira com Portugal, João Matos Fernandes disse mesmo que "o protocolo que existe não está a ser cumprido; tudo é arrancado a ferros".

  • Governo enfrenta vaga de contestação
    2:35

    Economia

    O Governo enfrenta uma onda de contestação. Guardas prisionais, procuradores, professores, médicos e enfermeiros descontentes ameaçam com greves nos diferentes setores, já nos meses de março e abril.

  • Proposta criação de 77 mil empregos através de uma descida da TSU
    1:23
  • Bastonário dos médicos diz que a classe deixou de acreditar no ministro da Saúde
    2:24

    País

    Desde Março do ano passado que perto de mil médicos especialistas aguardam colocação nos hospitais. O concurso, prometido várias vezes pelo ministro da Saúde, não abriu ainda por falta de autorização do Ministério das Finanças. Amanhã, quinta-feira, um grupo destes médicos vai à Assembleia da República entregar uma carta que entretanto já seguiu para os ministros da Saúde e Finanças.

  • 296 mortos em 2 dias de bombardeamentos em Ghouta Oriental
    2:16
  • Tiroteio na Florida foi o 18.º registado em meio escolar nos EUA desde janeiro
    1:25