sicnot

Perfil

Mundo

WhatsApp vai aumentar idade mínima para uso da aplicação 

Dado Ruvic

A aplicação de mensagens encriptadas WhatsApp quer aumentar a idade mínima de utilização da plataforma. A informação foi avançada na semana passada, sendo que será implementada até 25 de maio.

Se até ao momento era necessário ter 13 anos para enviar mensagens na aplicação, a partir do próximo mês a idade mínima subirá para os 16. A notícia foi avançada pela Wabetainfo, uma plataforma especializada em analisar as funcionalidades de redes sociais, entre elas o WhatsApp.

Numa nota deixada no Twitter pode ler-se:

"De modo a respeitar os novos Termos de Serviço do WhatsApp (disponívies no futuro, talvez, a partir do dia 25 de maio), o WhatsApp exige que tenha pelo menos 16 anos para utilizar os serviços (13 é a idade mínima, atualmente)."

Vários utilizadores já responderam à publicação, sendo que, alguns deles, consideram que os dados não vão ser devidamente verificados. Outros mostram-se revoltados com esta medida, alegando que a aplicação chega mesmo a ajudar a comunicação entre pais e filhos.

"A minha irmã acabou de completar 15 anos e usa o WhatsAppp para comunicar com toda a gente, para coisas básicas como trabalhos de casa, exames e coisas do género. A minha mãe costuma usar (a aplicação) para verificar onde ela está, assim como faz com todas as suas amigas."

A medida será implementada no mesmo dia em que entra em vigor o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD), a nova legislação de dados pessoas na Europa.

A Comissão Nacional de Proteção de Dados já publicou um documento onde aconselha as empresas a adaptarem-se às novas regras.

"É essencial conhecer as novas regras, analisar as novas obrigações, verificar o nível atual de cumprimento e adotar as medidas necessárias durante este período de transição para assegurar que tudo está pronto atempadamente.", lê-se no comunicado.

O WhatsApp foi criado em 2009 e em 2014 foi comprado pelo Facebook.

  • Quais são os riscos de participar nos grupos públicos do WhatsApp

    Mundo

    Desde o escândalo da Cambridge Analytica, que terá tido acesso a dados de cerca de 87 milhões de utilizadores do Facebook, as redes sociais têm sido muito criticadas. Um dos críticos é um dos fundadores da aplicação WhatsApp, Brian Acton, que se juntou a uma campanha para incentivar os internautas a abandonar a rede social fundada por Mark Zuckerberg. Contudo, nem a plataforma de mensagens instantâneas escapa aos perigos da internet. Saiba quais são os riscos que corre ao participar nos grupos públicos do WhatsApp.

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59