Mundo

Justiça europeia confirma restrições a três inseticidas prejudiciais para as abelhas

Yves Herman

O Tribunal da União Europeia confirmou hoje as restrições de uso impostas em 2013 a três inseticidas considerados prejudiciais para as abelhas e que tinham sido contestadas pelos fabricantes Bayer e Syngent.

Sem sequer esperar pela decisão da justiça europeia, a UE decidiu, no final de Abril, alargar esta proibição ao uso destas três substâncias - clotianidina, tiametoxame e imidaclopride - em todas as culturas ao ar livre. A exceção são as culturas em estufa, onde não há exposição de abelhas aos produtos.Em 2013, a UE inicialmente impôs algumas restrições de uso.

Os dois produtores dos pesticidas cujos produtos estavam diretamente envolvidos, a suíça Syngenta e a alemã Bayer, pediram a anulação desta decisão, reivindicando uma indemnização de pelo menos 368 milhões de euros.A moratória parcial vai aplicar-se às culturas que atraem abelhas (como milho, canola ou girassol), salvo raras exceções.

O Tribunal rejeitou "na sua totalidade" as ações da Bayer e da Syngenta, que se baseavam em estudos que levantaram preocupações sobre as condições de aprovação dos neonicotinóides (pesticidas), enquanto a UE tinha regras de proteção de abelhas para salvaguardar o seu papel como polinizadores para flora e culturas arvenses.Foi uma primeira avaliação da Agência Europeia de Segurança Alimentar (EFSA) desencadeou as restrições iniciais, em 2013.

A agência, com sede em Parma, confirmou a sua opinião no final de fevereiro deste ano, com a vontade expressa de Bruxelas de alargar a proibição."Os riscos identificados pela EFSA justificam a conclusão de que as três substâncias em questão deixaram de satisfazer os critérios de aprovação", explica o Tribunal em comunicado.O princípio da precaução também permitiu a ação neste caso, acrescenta.

Lusa

  • "A bebedeira passa, o resto não!"
    2:48

    País

    O INEM socorreu mais de mil menores em coma alcoólico, no ano passado. Por isso, os adolescentes são o alvo da campanha lançada esta sexta-feira pelo Governo: "A bebedeira passa, o resto não!"

  • Sabe que pode estar a pagar 100€ a mais na fatura do gás?
    2:29

    Economia

    A maior parte das empresas fornecedoras de gás continua a cobrar aos clientes a taxa de ocupação do subsolo ao clientes, apesar da lei dizer que deve ser paga pelas empresas desde janeiro de 2017. Cada Câmara Municipal cobra o que entende e há autarquias que não cobram nada. Em alguns casos podemos estar a falar de mais de 8 euros por mês, ou seja, mais de 100 euros por ano.

  • As técnicas e o currículo polémico do Dr. Bumbum
    2:10

    Mundo

    Uma mulher morreu após uma operação aos glúteos, feita na casa de um cirurgião plástico conhecido no Brasil por Dr. Bumbum. Depois de quatro dias em fuga, o homem entregou-se às autoridades. O médico operava as mulheres em casa e no currículo tem um curso que não acabou e pós-graduações que não são reconhecidas.

  • Ir ao Douro e à Nazaré
    25:57
  • O convite que causou surpresa até na Casa Branca
    2:33