sicnot

Perfil

Mundo

Madrid pode acolher até 100 migrantes do Aquarius

SOS Mediterranee Twitter

A presidente da Câmara de Madrid, Manuela Carmena, disse hoje que a capital espanhola pode acolher 20 famílias, até um máximo de 100 pessoas, que se encontram a bordo do navio Aquarius.

A autarca pediu ao chefe do Governo de Espanha, Pedro Sánchez, que sejam acolhidas na capital 100 pessoas que estão a bordo do navio.

Manuela Carmena disse numa mensagem na rede social Twitter que "com a ajuda de todos a situação pode ser resolvida em breve".

A vice-presidente do Governo, Carmen Calvo, pediu ao presidente da Federação Espanhola de Municípios e Províncias (FEMP), Abel Caballero, que coordene as ofertas que estão a chegar aos municípios para hospedar os 629 migrantes do Aquarius.

A Câmara de Madrid está a aguardar que o Governo central aceite a oferta, segundo fontes municipais.

Os migrantes serão transportados por um barco da Guarda Costeira Italiana, um navio da Marinha Italiana e o Aquarius até Valência, em Espanha. A Espanha ofereceu-se, na segunda-feira, para acolher os migrantes, para "evitar uma tragédia humanitária".

A organização SOS Mediterranee informou hoje no Twiitter que os migrantes já receberam comida e que se encontravam "já vulneráveis".

O Governo de Itália recusou no domingo autorizar o "Aquarius" a desembarcar num porto italiano migrantes resgatados do mar em várias operações durante sábado.

Itália defendeu que deve ser Malta a acolher os migrantes, entre os quais há 123 menores, mas Malta sustentou que a responsabilidade é de Itália porque as operações de salvamento dos migrantes ocorreram numa zona marítima coordenada por Roma.

Entretanto, o presidente do conselho executivo da Córsega, Gilles Simeoni, anunciou hoje no Twitter estar disponível para acolher o barco "Aquarius", com 629 migrantes.

Com Lusa

  • Marcelo de volta a casa após diagnóstico de gastroenterite aguda
    3:37
  • A corrida pelo melhor lugar no Rock in Rio
    2:00