Mundo

Número de mortos em atentado no Paquistão sobe para 128

JAMAL TARAQAI

O número de mortos no ataque suicida que ocorreu hoje durante uma manifestação eleitoral no distrito de Mastung, no sudoeste do Paquistão, subiu para 128, registando-se ainda 122 feridos, disse o ministro regional da Saúde.

"Na explosão, 128 pessoas morreram e 122 ficaram feridas", disse Faiz Kakar, ministro da Saúde da província do Baluchistão. O ataque teve como alvo um comício do dirigente político Mir Siraj Raisani, que morreu.

Um suicida detonou as bombas que tinha consigo no final do evento, que decorreu num mercado de Mastung, na província do Baluchistão.

"O atacante estava sentado entre as pessoas que participaram no evento e explodiu as bombas que carregava no final do evento", disse o porta-voz da polícia Mastung, Sana Ullah.

Muitos dos feridos foram transferidos para vários hospitais na capital da província, Quetta, localizada a cerca de 35 quilómetros do local onde ocorreu o ataque.Na capital, os serviços de saúde estão em "estado de emergência", disse Muhammed Ramzan, porta-voz da polícia provincial em Quetta.

O grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI) já reivindicou a autoria do atentado suicida.Num comunicado difundido pela agência Amaq, considerada o órgão de propaganda do EI, e cuja autenticidade não pode ser confirmada, a organização terrorista informa sobre "um atentado suicida com um cinto de explosivos durante um comício eleitoral" ocorrido em "Darengarh, no distrito de Mastung, na província do Baluchistão, no sudoeste do Paquistão".

Lusa

  • Médicos nas prisões para rastrear e tratar reclusos com VIH e hepatites

    País

    Os médicos infeciologistas, gastrenterologistas e internistas vão passar a deslocar-se às prisões para cuidar dos reclusos infetados com VIH e hepatites B e C e vão realizar-se rastreios à entrada, durante e final da reclusão. Este modelo vai estar em vigor em 45 estabelecimentos prisionais do continente.

  • Gaza de novo à beira da guerra
    2:30