sicnot

Perfil

Opinião

Inquérito à CGD e ações da Pharol suspensas em análise

Inquérito à CGD e ações da Pharol suspensas em análise

José Gomes Ferreira esclarece a questão da comissão de inquérito à CGD e a suspensão das ações da Pharol.

  • Negociação na bolsa das ações da Pharol suspensa
    2:14

    Economia

    A decisão foi tomada pela CMVM esta manhã e estende-se também a uma linha de obrigações da PT que arrisca não ser reembolsada dentro do prazo, que termina já no próximo mês.O regulador dos mercados só vai levantar a suspensão depois de serem divulgados mais dados sobre o pedido de recuperação judicial da OI, a empresa brasileira onde a Pharol é acionista e que pediu ontem à noite proteção dos credores.

  • PSD já entregou no Parlamento pedido formal para criação de comissão de inquérito
    2:05

    Caso CGD

    O PSD já entregou no Parlamento o pedido formal para a criação de uma comissão de inquérito à Caixa onde quer averiguar a real necessidade de injectar dinheiro no banco. O Bloco de Esquerda não quis alinhar naquilo a que chama "puro jogo político", mas vai exigir ao Governo uma auditoria forense para investigar os créditos de alto risco concedidos pela Caixa desde 1996.Ao mesmo tempo, Bruxelas também está a fazer uma investigação aprofundada ao plano entregue pelo executivo.

  • Incêndios em Portugal - um mês depois
    9:10

    Reportagem Especial

    Regressar a casa para refazer a vida é tudo o que querem as famílias a quem o fogo levou quase tudo, há cerca de um mês. Contudo, esse regresso não tem sido fácil. Depois dos incêndios, famílias e empresas ainda têm de vencer as burocracias. A Reportagem Especial deste sábado regressa a Seia, onde arderam mais de 70 casas de primeira habitação e onde a vida de muitos parece ter entrado num impasse.

  • CIP contra 600€ de salário mínimo, ameaça boicatar iniciativas do governo
    1:28

    Economia

    O presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP) está contra o aumento do salário mínimo para 600€. Em entrevista conjunta à Antena1 e ao Jornal de Negócios, o presidente António Saraiva considerou a proposta "uma luta partidária" dos comunistas com o Bloco de Esquerda" e ameaça boicotar a presença em iniciativas publicas, promovidas pelo executivo.