sicnot

Perfil

Pedro Cruz

Opinião

Pedro Cruz

Subdiretor de informação

Opinião

Geringonça (quanto vale uma palavra)

Pedro Cruz

Pedro Cruz

Subdiretor de informação

Não me surpreende. "Geringonça" é a palavra do ano. Escrita por Vasco Pulido Valente para classificar a solução das esquerdas, ganhou voz através de Paulo Portas e, como hoje se diz, tornou-se viral.

Colou-se à pele de um Governo do PS com uma "coligação" no Parlamento.

Ensinou-nos, na prática, que afinal não elegemos o primeiro-ministro, mas elegemos deputados que sufragam um primeiro-ministro.

Deu vida a uma regra que era letra morta. Mas que estava lá.

Costa, que acredita que as vacas voam e que é um "otimista irritante", no dizer do seu antigo professor, Marcelo, ofececeu, pelo Natal, geringonças aos seus ministros, que lhe aparam os golpes e têm conseguido manter a máquina a funcionar.


Mas, se até o próprio primeiro-ministro se refere à geringonça como... geringonça, estamos, então, a falar de quê?


De uma solução de Governo, via Parlamento - aliás, via reuniões sem fim entre Pedro Nuno Santos e os outros partidos, que discutem sempre com base em regras escritas em memorandos de entendimento assinados em finais de 2015 - que serve, claro, as "esquerdas".

Uma solução que cabe toda dentro de uma palavra, que é em si estranha, desengonçada, periclitante, confusa, instável, frágil.


O PSD espera ainda pelo diabo, o CDS tenta encontrar um novo caminho, o PS governa, Bloco, PCP e Verdes (ah! afinal eles existem, apesar de, como dizia Sócrates, nunca terem ido a votos...) ficaram reféns do PS. Ou será que foi o PS a ficar refém dos outros todos?


Confuso?

Tanto quanto pode ser uma geringonça.

E esta geringonça é, afinal, tática, estratégia, fuga para a frente, "golpe de Estado constitucional" ou a democracia parlamentar no seu esplendor? Coligação negativa ou legitimidade do voto direto e universal?

Há palavras que valem mais do que aquilo que parece.

Esta geringonça, a palavra, é um desses casos.


A outra, a geringonça dos "memorandos de entendimento", ainda tem de provar, ao País, a quem votou, a quem decidiu, que vai para além da palavra: estranha, desengonçada, periclitante, confusa, instável, frágil.

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    1:41
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.

  • A SIC visitou os bastidores do Santuário de Fátima
    7:43
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52