sicnot

Perfil

António José Teixeira

Importam-se de esclarecer?

Bem, ou mal, os senhores que ouvimos na Assembleia da República a debater o estado da nossa Nação são os nossos representantes, aqueles que escolhemos, os que falam em nosso nome. Pouco importa denegri-los, mas importa estar atento ao que dizem e fazem. O país que nos devolveram esta semana revela uma profunda clivagem na sociedade portuguesa.

 É essa a clivagem central que vai a eleições no início do Outono. De um lado, os «pecados capitais» do PSD/CDS, do outro, as «pragas» socialistas. A divisão é simplista, binária. Mas o pêndulo de campanha oscila assim. Uns enchem a boca de «dever cumprido» entre a bancarrota e a vitória sobre o resgate. Outros centram todas as energias na demonstração do falhanço, na «bancarrota social». Vamos ouvir à exaustão que foi o PS que chamou a troika e o PSD e o CDS que resolveram o problema. Estamos agora melhor, vamos «desfazer as medidas de emergência», vem aí a «moderação fiscal» e a «guerra sem quartel às desigualdades».

Na resposta, vamos também cansar-nos de ouvir falar da «sangria fiscal», do desemprego como há 20 anos, da emigração como há 50 anos ou da pobreza como há 15 anos. Pragas e pecados, muitos, pouca substância, como é costume. Continua a longa marcha da campanha eleitoral. Todo e qualquer palco servem para comício, mesmo a Assembleia da República.

Receio que o País de que estamos a falar não esteja tão sólido nem tão frágil como o pintam. Digo que está suficientemente frágil para não haver razões para alguns levantarem tanto a voz. Ao contrário do que se diz, Portugal não se reformou nem houve sequer a intenção de o reformar. Tão só cortar e vender ao sabor da folha de excel a que nos obrigámos, a começar pelo PS. É verdade que era difícil fugir às agruras do resgate. Tão verdade como a convicção singular de irmos mais longe do que a obrigação.

Convinha que os partidos não nos cansassem demasiado com estes e outros chavões. Se nos explicassem bem o querem fazer com a segurança social, os impostos, a educação e a saúde, seria bom. Será que querem? Aguardamos

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • Chegaram os brinquedos de cartão para a consola
    6:24
  • O 10 de julho de 1941 na escrita de João Pinto Coelho
    15:09
  • Governo promete melhorar condições de 26 mil famílias
    1:23

    País

    O ministro do Ambiente explicou esta terça-feira, no Parlamento, as novas medidas para a habitação: reduzir os impostos para arrendamentos longos, melhorar as condições de 26 mil famílias e introduzir o arrendamento vitalício para maiores de 65 anos. Este é um investimento que vai chegar aos 1700 milhões de euros.

  • Pato em excesso de velocidade faz disparar radar numa estrada suíça
    1:31
  • Peixe-galo e batatas rosti, qual o cardápio do encontro entre os líderes das Coreias?

    Mundo

    O menu do encontro entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, já foi dado a conhecer esta terça-feira. Através do site oficial do Governo, Seul anunciou um cardápio com vários pratos típicos da Península da Coreia, como dumplings ao vapor, arroz cultivado na Coreia, carne grelhada, salada fria com polvo, peixe-galo, batatas rosti e sopa fria.

    SIC

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17