sicnot

Perfil

Bernardo Ferrão

Marcelo e os livros da "Anita"

Bernardo Ferrão

Bernardo Ferrão

Subdiretor de Informação

Anita na praia, Anita na montanha, Anita e as 4 estações, Anita vai às aulas, Anita em Munique… Quem não se lembra das histórias da Anita? Os livros da personagem criada há 62 anos pelos belgas Gilbert Delahay e Marcel Marlier contavam as inocentes e românticas aventuras da menina que corria mundo. Quando apareceram, em 1954, o Presidente Marcelo já somava 5 primaveras.

Não sei, nem importa para o caso, se o Presidente foi ou não um leitor destes contos, o que aqui me traz é o paralelo que pode ser traçado entre as duas figuras – não querendo ofender nem o personagem real, nem a da ficção. Se Anita estava em todas, Marcelo não lhe fica atrás. Desde a tomada de posse já vimos Marcelo e o Conselho de Estado, Marcelo e Domingos Sequeira, Marcelo e a Banca, Marcelo e o cão Asa, a mochila de Marcelo, Marcelo e o rap improvisado, Marcelo e Nicolau Breyner, e Angola, e os Panama Papers, e o terrorismo, e os sms para o Congresso do PSD, e a “geringonça”, e o Orçamento…

Um mês depois da chegada a Belem, o anti-Cavaco vive o seu estado de graça. Está em todo o lado e fala sobre tudo. Mas mais do que furar protocolos, Marcelo mostrou-nos outra forma de estar e de atuar na política. O convite a Mario Draghi para o Conselho de Estado é um bom exemplo de como soube agarrar o cargo - deu relevância política a Belém, substância a um órgão presidencial semi-morto e marcou a agenda. O problema é se com esta intervenção pública, tão omnipresente, não corre o risco de se tornar naqueles maratonistas que dão tudo nos primeiros metros, quando ainda tem tantos quilómetros pela frente.

Ao estar sempre em palco, Marcelo corre outro risco: está a criar e a tornar-se num hábito, uma sensação que se adensa depois dos dois mandatos de Cavaco marcados por muitas e inexplicáveis ausências e uma absoluta rigidez no exercício do cargo. É como se tivéssemos sempre garantido o comentário, já não do comentador dominical, mas do Presidente “Rebelo de Sousa”. Mas se este estilo de presidência, mais próxima, nos parece positivo, pergunto-me se não se pode virar contra o próprio – e aqui incluo a cobertura que deu à atuação do poder político sobre as questões da banca.

Será que o seu presente não está condicionar-lhe o futuro?

Quando as tensões chegarem, quando a crise apertar, Marcelo será obrigado a recuar. Um Presidente, sobretudo em tempos mais instáveis, não pode estar permanentemente na praça pública, ao virar da esquina, pronto para dizer umas coisas. Só que no dia em que Marcelo precisar de se afastar da comunicação social, e da primeira linha da atualidade, o seu silêncio será muito mais pesado. E revelador.

Considero que Marcelo arrancou bem e está a saber ocupar um cargo dificílimo – de um homem só -, mas não acredito que este estilo possa perdurar com a mesma intensidade. Não é bom nem para o chefe de Estado, nem para nós. O excesso, tal como o defeito, também satura. Nem tanto ao mar...

No ano passado, por decisão da editora, Anita mudou de nome e voltou ao original: Martine. Marcelo é Marcelo, não corre esse risco, mas a sua história em Belém ainda vai dar muitas voltas. Bem sei que agora é hora de se mostrar, mas se não começar a desacelerar a fatura será pesada. E o Marcelo original – muito desgastado - pode já não ser recuperável.

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.