sicnot

Perfil

Bernardo Ferrão

O “amigo” de Costa e o pin na lapela do Bloco de Esquerda

As dúvidas sobre o papel/atuação do “melhor amigo” de António Costa enquanto negociador do Estado não são novas. Mas o que agora surpreende (ou talvez não!) é a reação do primeiro-ministro. É inacreditável que Costa considere que estava tudo bem na relação muito pouco clara entre o Estado e Lacerda Machado. Uma relação graciosa e sem enquadramento legal, que nada tem de “fait-divers”.

É estranho que se ache estranho que tenha de haver um contrato. É óbvio que tem de existir – Costa deu a entender que esse contrato já existia quando ainda nem sequer foi assinado -, e é também óbvio que os valores envolvidos devem ser públicos. Afinal quanto é que vai ganhar o “melhor amigo” de Costa? Qual o objeto(s) do acordo? Vai negociar o quê? E com quem? A falta de transparência e o conflito de interesses são indisfarçáveis, e o primeiro-ministro já devia saber que misturar amigos e negócios nunca dá bom resultado.

Segundo fonte próxima do processo, citada no DN, Lacerda Machado ganha um “valor simbólico” do Governo. Mas se é simbólico porque é que Costa veio dizer que a contratação do amigo ia ser “mais cara para o Estado” e que era “um dinheiro que podia não ser gasto”? Se é simbólico não há razões para que o PM se aflija com os montantes da fatura, certo? Mas há outra dúvida que se coloca: porque é que o valor pago pelo Governo há de ser simbólico?

Se a reação de São Bento levanta várias questões e exige esclarecimentos cabais, a atitude do Bloco de Esquerda e do PCP perante tudo isto é igualmente reveladora. Pergunto-me o que diriam as esquerdas se em vez de Costa o caso fosse com o governo de Passos Coelho. Aliás, nem é preciso puxar muito pela imaginação, basta socorrermo-nos da memória.

Passos Coelho também teve um negociador no seu governo. António Borges tinha a pasta das privatizações, mas a diferença é que na altura – bem sei que Passos Coelho também não revelou logo os pormenores desse contrato - soubemos quanto ganhava, e como era o seu contrato (âmbito e duração). Ainda assim, nesses tempos, o BE fez dele uma espécie de inimigo número 1 do país. Francisco Louçã, então líder bloquista, referia-se ao consultor como "ministro extranumerário" e dizia que “se transformou numa espécie de gato escondido com o rabo de fora”.

Pois, mas e o que diz agora o mesmo Bloco sobre o negociador da “geringonça”? Primeiro não disse nada, preferiu o silêncio – tal como o PCP que, 48 horas depois, lembrou-se que tinha de pedir, e não exigir, “todos os esclarecimentos”. Depois, num “jeito manso”, o BE veio falar em transparência. Que cordatos estão agora os bloquistas (e os comunistas) com o negociador e com os negócios do melhor amigo de Costa.

Estranho? Talvez não. Se Francisco Louçã já usa gravata, não tarda veremos Catarina Martins com um pin na lapela. Mas no seu caso, em vez da bandeira de Portugal, o pin terá a cara de António Costa, o “melhor amigo” do negociador do Estado socialista.

  • Tomadas medidas para evitar danos ambientais após acidente na barra da Armona
    1:49

    País

    Quatro tripulantes foram transportados para o hospital com hipotermia, depois de terem caído ao mar. A embarcação onde seguiam, e que faz trabalhos de reposição de areias, virou-se esta manhã, na ilha da Armona, em Olhão. As autoridades vão abrir um inquérito para apurar as causas do acidente e estão a tomar medidas para evitar danos ambientais, visto que a embarcação transportava 12 mil litros de gasóleo.

  • Papa no Chile em ambiente de contestação à Igreja Católica
    3:13

    Mundo

    O Papa pediu hoje perdão pelos crimes de pedofilia cometidos por membros da Igreja Católica no Chile, referindo que sentiu "dor e vergonha" diante do "dano irreparável" causado às crianças vítimas de abuso sexual. Francisco está a cumprir uma deslocação de três dias ao Chile, onde a contestação à visita e à Igreja se faz sentir. O Papa enfrenta um ambiente hostil na sexta viagem à América Latina, devido à denúncia de abusos sexuais na Igreja.

  • Domingos Paciência sai do Belenenses

    Desporto

    Domingos Paciência deixou esta terça-feira o comando técnico do Belenenses. O treinador e a SAD do clube chegaram a acordo para a rescisão amigável do contrato.

    Em atualização

  • Reviravolta na Operação Fizz
    1:09

    País

    O juiz que vai julgar o chamado processo da Operação Fizz decidiu aceitar as denúncias de Orlando Figueira contra o presidente do Banco Atlântico e o advogado Daniel Proença de Carvalho. As acusações do principal arguido contra o banqueiro Carlos Silva e o advogado Proença de Carvalho podem trazer uma reviravolta ao processo.

  • Apoio psicológico fundamental em Vila Nova da Rainha
    2:19
  • Projeto Bairros Sem Cárie levou 300 pessoas do Seixal ao dentista
    3:08

    País

    Portugal tem dos piores indicadores de saúde oral da Europa e ir ao dentista é quase um luxo. Num país assim ganham ainda mais relevância iniciativas como o projeto Bairros Sem Cárie. 300 pessoas de bairros sociais do Seixal tiveram uma consulta de estomatologia gratuita.

  • Homem rompe a garganta ao tentar impedir espirro

    Mundo

    Impedir um espirro apertando o nariz pode causar sérias lesões. Foi o que aconteceu a um homem na Grã-Bretanha que teve de ser hospitalizado porque sofreu uma rutura na garganta ao apertar boca e nariz ao espirrar.