sicnot

Perfil

Francisco Lufinha

Visto de cima: Mais união e menos confusão

A SIC pediu a várias personalidades que dessem a sua opinião sobre o atual momento que se vive no país. Todos os dias, no decorrer da campanha, é publicado aqui um artigo de cada uma dessas pessoas, ligadas às mais diversas áreas, que normalmente não são chamadas a falar sobre politica nacional. A opinião de hoje é do velejador Francisco Lufinha.

Fórmulas mágicas para resolver, ou melhor, mascarar problemas a curto prazo, não é muito a minha onda. Sou mais adepto de uma boa estratégia a longo prazo, pensada e levada a cabo com trabalho, sem interferências constantes.

Falando de política: confesso que não sou a pessoa mais atenta, talvez por passar muito tempo no mar, mas também acho que a classe política ajuda a esse desinteresse, meu e de tantos outros, porque sempre que vejo um debate ou uma sessão no parlamento fico menos motivado, já que não encontro um rumo concreto e transparente, que estejamos todos a seguir juntos.

Comparando com um barco à vela no meio do mar, actualmente temos um comandante que definiu um rumo para Norte, embora tenha alguma tripulação contra a sua vontade, tem a maioria dos marinheiros a bordo a cumprir as suas ordens. Mas de 4 em 4 anos de navegação, há um motim que troca o comandante e o barco passa a navegar noutro sentido. Assim nunca chegamos a bom porto, nem a Sul nem a Norte. Isso é que me preocupa.

Em paralelo, seja na política ou fora, quando me deparo com alguém com um discurso de "última coca-cola no deserto", que os concorrentes não sabem o que fazem, que sabe tudo e que tem a melhor solução para todos os problemas, é meio caminho andado para perder toda a credibilidade e confiança.

De que lado é que estou? Sinceramente ainda não me consigo identificar com nenhum partido. Fui votando influenciado pelos meus pais, em quem confio de olhos fechados. Este ano tenho uma certeza, é que não quero voltar à estaca zero. Houve e ainda se mantém a austeridade, mas se nos comprometemos, devemos honrar os compromissos e recuperar a pouco e pouco o ânimo e a economia.

Desrespeitar compromissos e interromper estratégias já em curso não me entusiasma, muito menos arriscar repetir erros já efectuados no passado.

Não tenho a expectativa de que os nossos problemas se resolvam todos, até porque surgirão sempre outros tantos, mas gostava muito e mantenho a esperança de ver o governo e todos os partidos a trabalhar como um todo, com espírito de equipa, a lutar juntos por um Portugal unido, digno e repleto de pessoas felizes e orgulhosas de serem Portuguesas, em vez de estar cada partido a puxar a brasa à sua sardinha.

Venham bons ventos!

Sobre Francisco Lufinha

Francisco Lufinha é um jovem Português de 32 anos, completamente apaixonado por desportos náuticos. Com apenas 15 dias, foi levado para um barco pelos seus pais e nunca mais conseguiu, nem quis, desligar-se do mar. Natural de Lisboa, aos onze anos iniciou-se na Vela, onde durante sete anos de competição ganhou regatas nacionais e regionais e representou Portugal em diversas provas europeias. Depois da Vela, windsurf e wakeboard foi o Kitesurf que o cativou mais, por ser uma mistura dos seus desportos favoritos. Em 2005 sagrou-se campeão nacional e em 2006 vice-campeão, alcançando também vários resultados internacionais. Em paralelo com a vida desportiva, Francisco Lufinha concluiu em 2007 o Mestrado em Engenharia e Gestão Industrial no IST, o que o levou a trabalhar em auditoria, marketing estratégico, gestão de projectos e até gestão hoteleira. A sua vida está repleta de experiências diferentes e vive desafiando-se a si próprio, através de novas e arriscadas aventuras que o fazem sentir-se vivo e superar-se a cada desafio.

Em 2013 bateu o record mundial de maior viagem de Kitesurf sem paragens, navegando 564 Km do Porto até Lagos, durante 29 horas sem paragens. Entre os dias 5 e 7 de Julho de 2015, acrescentou mais 310 Km à marca anterior, ao navegar de Lisboa rumo à Madeira em pleno oceano atlântico, percorrendo 874 Km de Kitesurf sem parar, durante 47 horas e 37 minutos de muita determinação, alucinações, peripécias e alegrias.

Actualmente o Francisco vive entre eventos náuticos e palestras de motivação que realiza para empresas e instituições, onde através dos relatos das suas experiências extremas procura motivar as pessoas a superarem os seus obstáculos e tirarem partido das suas equipas.

Para mais informação: www.lufinha.pt

  • Visto de cima: Às duas da tarde sentei-me e desabafei

    Carlos do Carmo

    A SIC pediu a várias personalidades que dessem a sua opinião sobre o atual momento que se vive no país. Todos os dias, no decorrer da campanha, é publicado aqui um artigo de cada uma dessas pessoas, ligadas às mais diversas áreas, que normalmente não são chamadas a falar sobre politica nacional. A opinião de hoje é do fadista Carlos do Carmo.

  • Visto de cima: Quem quer ser Português?

    Fernando Ribeiro

    A SIC pediu a várias personalidades que dessem a sua opinião sobre o atual momento que se vive no país. Todos os dias, no decorrer da campanha, é publicado aqui um artigo de cada uma dessas pessoas, ligadas às mais diversas áreas, que normalmente não são chamadas a falar sobre politica nacional. A opinião de hoje é de Fernando Ribeiro, o vocalista dos Moonspell.

  • Visto de cima: Outros, x por cento

    José Luís Peixoto

    A SIC pediu a várias personalidades que dessem a sua opinião sobre o atual momento que se vive no país. Todos os dias, no decorrer da campanha, é publicado aqui um artigo de cada uma dessas pessoas, ligadas às mais diversas áreas, que normalmente não são chamadas a falar sobre politica nacional. A opinião de hoje é do escritor José Luís Peixoto.

  • Visto de cima: "Totós" ou Campeões?

    Nuno Delgado

    A SIC pediu a várias personalidades que dessem a sua opinião sobre o atual momento que se vive no país. Todos os dias, no decorrer da campanha, é publicado aqui um artigo de cada uma dessas pessoas, ligadas às mais diversas áreas, que normalmente não são chamadas a falar sobre politica nacional. A opinião de hoje é do judoca Nuno Delgado.

  • Visto de cima: Portugal ganhou o Euromilhões

    Nilton

    Se é do género de pessoas que se atira a um texto pelo título, fique a saber que já gastámos o dinheiro do prémio. Lamento. Com a entrada na União Europeia recebemos milhões a um nível de fartura que nunca tínhamos visto e mesmo assim conseguimos esfalfa-los de pronto e quase tão rápido quanto as vinte e quatro horas que um dia tem. Pior, ainda conseguimos gastar mais uns quantos e deixar para os pagar quem viesse a seguir.

  • "Temos de jogar melhor do que frente à Espanha"
    0:45
  • Ronaldo é o jogador que mais preocupa os marroquinos
    2:35
  • Recorda-se de Tahar? O ex-futebolista marroquino que já jogou em Portugal
    6:10
  • "Somos 11 milhões, queremos ser campeões e as russas são grandes canhões"
    3:54
  • Denis Cheryshev: o orgulho dos anfitriões

    Mundial 2018 / Rússia

    O avançado Denis Cheryshev foi eleito o Homem do Jogo entre Rússia e Egito, que os russos venceram por 3-1. Marcou o segundo golo dos anfitriões, o terceiro em nome próprio no Mundial e juntou-se a Cristiano Ronaldo no topo da lista de melhores marcadores. Aos 27 anos e a jogar o primeiro Mundial da carreira, Cheryshev continua a assumir-se como um dos principais rostos da esperança russa para o sucesso desta campanha. Depois de já ter sido o melhor em campo no triunfo sobre a Arábia Saudita, a nação anfitriã vê-o como uma espécie de porta-estandarte do orgulho russo na defesa da pátria.

  • Gato Achilles acerta no resultado do Rússia-Egito

    Desporto

    O gato Achilles é o adivinho dos jogos do Mundial na Rússia. Depois de ter acertado na vitória da Rússia frente à Arábia Saudita, o felino voltou a apostar na equipa certa, com os russos a vencerem esta terça-feira o Egipto por 3-1.

  • Os momentos que marcaram o 6.º dia de Mundial
    0:58
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O espetáculo fora das quatro linhas
    2:30
  • "Quando o Cristiano Ronaldo te convidar para almoçar, recusa"

    Desporto

    Na possibilidade de ser convidado por Cristiano Ronaldo para um almoço ou jantar, recuse. Este é o conselho de Patrice Evra, que revelou o "sofrimento" que passou quando aceitou almoçar em casa do capitão da seleção nacional, na altura em que ambos jogavam pelo Manchester United. O jogador francês falou sobre a comida "demasiado saudável" e o exercício que acabou por ter de fazer, enquanto podia estar a descansar.

    SIC

  • "Quero ir com a minha tia", o desespero das crianças afastadas dos pais nos EUA
    2:11

    Mundo

    A nova política de imigração de Donald Trump está a suscitar reações indignadas. Na fronteira com o México, as crianças refugiadas estão a ser retiradas à força aos pais e levadas para centros de acolhimento. Esta terça-feira, foi divulgado um registo áudio de uma criança a suplicar pelos pais a um dos agentes da polícia fronteiriça.

  • Protecionismo de Trump abala Wall Street

    Economia

    Abalada pela exacerbação das disputas comerciais entre os EUA e a China, a bolsa nova-iorquina encerrou esta terça-feira em baixa, com o seletivo Dow Jones a fechar em queda pela sexta sessão consecutiva.