sicnot

Perfil

País

Antigo segurança José Esteves diz que Amaro da Costa era o alvo no caso Camarate

O antigo segurança José Esteves afirma, num depoimento enviado à X Comissão de inquérito sobre a tragédia de Camarate, ter sido previamente informado que o alvo do atentado seria o então ministro da Defesa Adelino Amaro da Costa.

Mais de 30 anos depois o caso Camarate, que investiga a morte de Francisco Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa, comtinua em aberto.

Mais de 30 anos depois o caso Camarate, que investiga a morte de Francisco Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa, comtinua em aberto.

"No final de novembro, talvez a 29 ou a 30, FFS (Fernando Farinha Simões) refere-me que o alvo desta operação é o engenheiro Amaro da Costa", escreveu José Esteves, no depoimento que enviou aos deputados da X comissão de inquérito e que hoje divulgou à comunicação social.  

José Esteves, que vai ser ouvido na comissão quinta-feira à porta fechada, afirma que "cerca do dia 1 de dezembro de 1980", acompanha Fernando Farinha Simões a uma reunião em que participam também Carlos Miranda e Sinan Lee Rodrigues.  

"Farinha Simões refere que a operação será para realizar dentro de poucos dias e que o alvo é Adelino Amaro da Costa. Afirmo então que o engenho que me pediram para preparar já está pronto", escreveu. 

Em setembro, Farinha Simões ter-lhe-á dito que "a operação era necessária pois havia pessoas na AD (Aliança Democrática) que estavam a criar problemas no transporte de armas". 

Numa entrevista à revista Focus, em 2006, José Esteves reclamara a autoria da bomba que disse ter provocado a queda do avião mas, quanto ao alvo, afirmou apenas que o plano era pregar "um susto" ao general Soares Carneiro, candidato presidencial pela Aliança Democrática, que encerrava a campanha nessa noite.

No depoimento, o antigo segurança do CDS revela ainda que se deslocou à sede do partido, em Lisboa, no dia "1 ou 2 de dezembro", e que disse ao então presidente democrata-cristão Francisco Lucas Pires que haveria "um  atentado nos próximos dias contra Adelino Amaro da Costa num dos transportes de avião que irá realizar".  

"Fico contudo com a impressão de que Lucas Pires não me presta atenção", disse.  

José Esteves afirmou que entregou um saco que continha o engenho que fabricou e um "explosivo à parte" que alegadamente lhe tinha sido "enviado por Canto e Castro". 

Na entrevista à revista Focus, ao jornalista Frederico Duarte Carvalho, José Esteves tinha dito no entanto que tinha entregue o engenho incendiário "na Rua Augusta, numa loja".  

José Esteves refere ainda a convicção de que não foi o engenho que fabricou que provocou a queda do avião: "Se o meu engenho tivesse deflagrado, os ocupantes do avião não teriam morrido, pois o incêndio teria sido pequeno e teria dado tempo às pessoas para saírem do avião". 

No seu depoimento, José Esteves afirma que foi o norte-americano que aponta como agente da CIA, Frank Sturgis, que acionou "o controlo remoto" que terá provocado o rebentamento do engenho explosivo e a queda do avião.

O mesmo Frank Sturgis que, refere, ter-lhe-á pago 200 mil dólares para fabricar a bomba.  

A explosão da aeronave Cessna, num bairro da freguesia de Camarate, a 4 de Dezembro de 1980, provocou a morte do então primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro, de Snu Abecassis, do ministro da Defesa Adelino Amaro da Costa,  do chefe de gabinete do primeiro-ministro António Patrício Gouveia, assim como dos dois pilotos do aparelho. 

O caso nunca chegou a ser julgado, perdurando ainda duas teses na opinião  pública: Para uns foi um acidente, para outros um atentado.  

 Lusa

  • A história do português que escapou ao sismo em Itália

    Sismo em Itália

    A SIC entrevistou um português que estava numa das aldeias afetadas pelo sismo, a menos de um quilómetro de Amatrice. Bruno Correia foi projetado da cama onde dormia e ficou preso na casa. Só conseguiu escapar algum tempo depois. Não ficou ferido e ainda esteve a ajudar as pessoas que perderam as casas.

  • MP quer ouvir gémeos iraquianos na qualidade de arguidos

    Agressões em Ponte de Sor

    O Ministério Público considera "essencial para o esclarecimento dos factos" de Ponte de Sor que os dois jovens sejam ouvidos em interrogatório, na qualidade de arguidos. Assim, o Ministério dos Negócios Estrangeiros vai dar seguimento ao pedido do Ministério Público e pedir ao Iraque o levantamento da imunidade diplomática dos dois filhos do embaixador.

  • Ronaldo melhor jogador da Europa

    Cristiano Ronaldo

    ​Cristiano Ronaldo venceu o prémio de Melhor Jogador da Europa com 40 dos 55 votos (72,7%) e igualou Lionel Messi com dois triunfos na eleição da UEFA. O jogador francês do Atlético de Madrid, Antoine Griezmann ficou no segundo lugar, com oito votos, mais um do que o colega galês de Ronaldo no Real Madrid, Gareth Bale.

  • Bombeiro com transplante de face é considerado um "milagre da medicina"
  • Trump autoproclama-se "Mister Brexit"

    Brexit

    O candidato republicano à Casa Branca Donald Trump autoproclamou-se esta quinta-feira de "Mister Brexit", depois de aparecer num comício nos Estados Unidos com o eurodeputado Nigel Farage, que liderou a campanha do Reino Unido para abandonar a União Europeia.

  • "Todos os dias me dizia a mim própria que ia conseguir"
    Primeiro Jornal

    Primeiro Jornal

    TODOS OS DIAS 13:00

    Telma Monteiro conquistou a única medalha de Portugal nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro ao bater a romena Corina Caprioriu por yuko. A judoca portuguesa esteve no Primeiro Jornal e disse que desta vez acreditou mais que era possível trazer uma medalha para Portugal e que todos os dias dizia para ela própria "que ia conseguir". Telma lembra que "quando os atletas se referem aos apoios muitas vezes não se estão a referir a dinheiro".

    Entrevista SIC

  • Morreu estilista francesa Sonia Rykiel

    Mundo

    A estilista de moda francesa Sonia Rykiel, conhecida como "a rainha da malha", morreu hoje em Paris aos 86 anos, após uma longa batalha contra a doença de Parkinson, anunciou a filha Nathalie.