sicnot

Perfil

País

BE pede ao primeiro-ministro documentação da Segurança Social entre 1999 e 2004

BE pede ao primeiro-ministro documentação da Segurança Social entre 1999 e 2004

O Bloco de Esquerda quer que Passos Coelho disponibilize toda a documentação sobre a sua situação, em matéria de Segurança Social, entre os anos de 1999 e 2004. Os bloquistas questionam ainda os montantes da dívida do primeiro-ministro e consideram que Passos Coelho não pode alegar desconhecimento.

  • PCP quer que Passos esclareça a falta de pagamentos à Segurança Social
    0:40

    País

    O PCP espera que o primeiro-ministro esclareça o caso da falta de pagamentos à Segurança Social antes do debate quinzenal agendado para 11 de Março. O líder parlamentar comunista diz que as explicações de Pedro Passos Coelho não convencem e, por isso, o partido já entregou, na Assembleia da República, um conjunto de perguntas que quer ver respondidas pelo primeiro-ministro.

  • Passos garante que está preparado para todo o tipo de ataques
    2:24

    País

    O primeiro-ministro voltou hoje a falar da polémica sobre a falta de pagamento à Segurança Social. No encerramento das jornadas parlamentares do PSD, Passos Coelho diz que está a ser alvo de ataques pessoais, que superam as questões políticas em ano eleitoral.Admite que falhou prazos de pagamento no passado, mas diz nunca se deixou influenciar por qualquer tipo de poder enquanto chefe do Governo.

  • Dívida de Passos à Segurança Social será superior ao que foi pago
    3:27

    País

    A dívida de Pedro Passos Coelho à segurança social seria superior a oito mil euros, já com juros de mora, e não os quatro mil, inicialmente referidos. As contas foram feitas pelo jornal Público. O diário assegura que as contas iniciais se basearam apenas no período entre 2002 e 2004. O primeiro-ministro quer agora dar o assunto por encerrado, apesar do pedido de explicações apresentado pelo PS.

  • "Nunca fui notificado", garante Passos Coelho
    2:14

    País

    Passos Coelho garante que nunca foi notificado de qualquer dívida à Segurança Social. O primeiro-ministro assegura que desconhecia a existência dessa dívida e diz também que quando soube, por terceiros, apressou-se a pagar os valores em dívida, apesar dela já ter prescrito. Passos Coelho considera ainda estranha a forma como tomou conhecimento do facto.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.