sicnot

Perfil

País

Ministra garante que Portugal é dos países mais seguros do Mundo

A ministra da Administração Interna afirmou hoje que "Portugal é dos países mais seguros do mundo" e que "apesar de alguns terem vaticinado o aumento da violência, no início do programa de ajuda externa, tal não se verificou".

LUSA

Anabela Rodrigues, que participava, em Lisboa, num almoço de empresários organizado pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola, sublinhou que de acordo com diversos estudos e indicadores internacionais, Portugal é dos países mais seguros do mundo. 

E adiantou que "o início deste programa [de ajuda externa] levou alguns a vaticinar um inevitável aumento da violência e do crime, mas findo o programa podemos dizer que nenhum dos cenários catastrofistas se materializou". 

Segundo a governante, "a criminalidade geral e a criminalidade violenta e grave têm vindo a descer de forma ininterrupta e consistente desde 2008 e 2013 foi mesmo o melhor ano dos últimos 10, no que respeita à queda da criminalidade participada em Portugal".

Os dados apurados relativos a 2014 "são muito animadores e parecem comprovar esta tendência de queda assinalável e continuada da criminalidade", realçou ainda.

Para Anabela Rodrigues, a redução da criminalidade deve-se "à maturidade cívica dos portugueses e ao seu inabalável sentido de responsabilidade e deve-se também, e muito, ao profissionalismo, ao espírito de missão, à dedicação e ao brio das forças de segurança nacionais". 

No almoço com empresários portugueses e espanhóis, a ministra da Administração Interna aproveitou para realçar a importância da segurança no desenvolvimento da economia.

"Segurança e economia são dois bons exemplos de setores onde Portugal e Espanha, em conjunto, têm muito a ganhar", salientou.

"Num momento particularmente difícil da história dos países ibéricos, a aposta na segurança como vetor estratégico da recuperação económica revelou-se da maior importância", sublinhou a ministra.

"As condições de segurança em Portugal contribuíram para o crescimento assinalável do turismo, uma área crucial para a economia portuguesa e, desta forma, a segurança apoiou o espírito de iniciativa e o investimento dos empresários no setor", exemplificou.

A responsável pela pasta da Administração Interna defendeu também que "os bons resultados de Portugal em matéria de segurança têm um papel central noutras dimensões da economia, nomeadamente para a reputação e credibilidade externas do país, que têm relevo para a captação de investimento direto estrangeiro e para as condições de financiamento externo de Portugal".


Lusa
  • Défice cai 1.900 milhões até agosto

    Economia

    O défice das administrações públicas foi de 2.034 milhões de euros até agosto, uma "melhoria de 1.901 milhões" face ao mesmo período de 2016, segundo o Governo, que justifica com aumento superior a 4% da receita.

  • Atores recriam cena em que um homem é vítima de violência doméstica
    1:35
  • Ministério Público admite eventual detenção do presidente do governo da Catalunha
    2:24
  • Bispo vermelho

    "Recebia trabalhadores e sindicalistas, batia à porta de políticos e empresários, andava pelas ruas da cidade ao encontro dos que das ruas da cidade faziam casa". Joaquim Franco evoca Manuel Martins, o "bispo vermelho".

    Joaquim Franco

  • Apreendidos quase 7.000 comprimidos ilegais vendidos pela internet
    1:43

    País

    O Infarmed e a Autoridade Tributária apreenderam perto de 7.000 unidades de comprimidos ilegais.A apreensão aconteceu no âmbito de uma operação internacional da Interpol de combate aos medicamentos ilegais vendidos pela internet, explicou à SIC Luís Sande e Castro, diretor da Unidade de Inpeção do Infarmed.

  • Criar galinhas na cozinha, guerras no fogão, e drones dentro de casa
    7:28
  • Passageiro detido com 1 kg de ouro no reto

    Mundo

    Os funcionários da alfândega do aeroporto de Colombo, Sri Lanka, estranharam o comportamento de um passageiro que "caminhava com dificuldade". Um exame completo revelou a valiosa carga que levava escondida... no tubo intestinal.