sicnot

Perfil

País

Detidos na "Operação Areeiro" aguardam julgamento em liberdade

Vão aguardar julgamento em liberdade os dois dirigentes do Centro Distrital de Lisboa do Instituto da Segurança Social (ISS), um advogado e dois técnicos oficiais de contas, detidos por alegada emissão de certidões sobre regularidade contributiva.

(Arquivo)

(Arquivo)

Mediante contrapartidas financeiras, os funcionários  do Centro Distrital de Lisboa do ISS concediam a empresas tratamento de favor relativamente às respetivas contribuições para a Segurança Social e emitiam certidões que atestavam falsamente a regularidade contributiva.

A "Operação Areeiro" levou à realização de cerca de 70 buscas - domiciliárias e não domiciliárias - tendo sido apreendido diverso material relacionado com a prática da atividade criminosa em investigação.

Em atualização
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Fitch retira Portugal do "lixo"
    2:20
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".