sicnot

Perfil

País

Distrito de Faro sob aviso amarelo devido a ondas de 2,5 metros

O distrito de Faro encontra-se hoje sob aviso amarelo devido à previsão de ondas altas, que podem chegar aos dois metros e meio, informa o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) na sua página oficial.

© KYODO Kyodo / Reuters

De acordo com a informação do IPMA, no sul de Portugal continental o aviso amarelo, o segundo mais grave de uma escala de quatro, vigora até às 15:00 de sábado.


Este aviso (amarelo) é emitido pelo IPMA sempre que existe risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.


Apesar do aviso amarelo para o distrito de Faro, as barras marítimas algarvias encontram-se abertas a toda a navegação, excepto a de Faro, que está fechada a embarcações de comprimento inferior a 11 metros.


Também a barra de São Martinho do Porto, na parte marítima do concelho de Alcobaça, se encontra fechada a toda a navegação.


Para hoje o IPMA prevê céu pouco nublado ou limpo e vento em geral fraco do quadrante leste, soprando moderado a forte no Algarve e nas terras altas.


Está igualmente previsto um acentuado arrefecimento noturno, com formação de geada nas regiões do interior norte e centro.


A temperatura máxima, em especial nas regiões do interior, irá sofrer uma pequena subida, enquanto a mínima na região sul irá descer.


Quanto às temperaturas, rondam os oito graus de mínima em Lisboa e Porto, sendo que a capital irá subir até aos 21, enquanto na invicta os termómetros chegam aos 20.


Mais a sul, a cidade de Faro amanhece com 10 de mínima e deverá chegar aos 19 de máxima.


Leiria, Coimbra e Braga vão ser as cidades mais quentes de Portugal, com os termómetros a chegar aos 22 graus de máxima, depois de registarem seis, oito e quatro de mínima, respetivamente.


Castelo Branco irá amanhecer com menos um grau e deverá chegar aos 14 de máxima, enquanto em Vila Real estão previstos 18 de máxima (um grau de mínima), assim como Viseu, que amanhece com quatro de mínima. 


Já Bragança oscila entre os dois de mínima e os 19 de máxima.


Lusa


  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.