sicnot

Perfil

País

Terreno da antiga Feira Popular de Lisboa em "pré-anúncio" de venda

O terreno da antiga Feira Popular de Lisboa, com uma área de construção de 143 mil metros quadrados, foi hoje colocado em "pré-anúncio" de venda na internet, para fomentar o interesse dos investidores, segundo um diretor municipal.

SIC/Arquivo

SIC/Arquivo

SIC

"O que estamos a fazer é um pré-anúncio apenas com a referência do terreno, da área e da localização, de modo a que haja mais interessados", afirmou o diretor do Departamento de Política de Solos e Valorização Patrimonial da Câmara de Lisboa, António Furtado, em declarações à agência Lusa.

O município colocou hoje no 'site' cidadedeoportunidades.cm-lisboa.pt informações sobre o terreno, localizado em Entrecampos, abrangendo as avenidas das Forças Armadas, da República e 5 de Outubro.

De acordo com a publicação, feita em inglês, "esta é a mais recente grande oportunidade de efetuar um negócio imobiliário no centro de Lisboa".

"Temos a clara sensação de que não será coisa para um pequeno ou médio investidor, mas para grandes investidores", daí a necessidade de "penetração no mercado internacional", justificou António Furtado.

Ainda assim, o responsável frisou que "não há data nem preço" definidos para a hasta pública na qual vai ser vendido o terreno, já que as condições terão de "ser aprovadas pelos órgãos municipais [Câmara e Assembleia Municipal] e depois objeto de publicação".

Na informação divulgada, são apresentados como possíveis usos a habitação, o comércio, os serviços e a hotelaria.

Porém, dada a sua dimensão, o terreno "poderia consagrar todos estes usos e não apenas um", sublinhou o diretor do Departamento de Política de Solos e Valorização Patrimonial.

Paralelamente à descrição do espaço, foi publicado um vídeo promocional que mostra imagens de zonas da cidade como a baixa pombalina, o Marquês de Pombal, a Avenida Fontes Pereira de Melo e o terreno em si, atualmente desocupado.

No vídeo, é também indicado que este espaço se encontra a "cinco minutos do aeroporto" da capital.

Na apresentação do orçamento para 2015, feita em novembro do ano passado, o presidente da Câmara de Lisboa, António Costa (PS), anunciou que a autarquia pretendia alienar os terrenos da antiga Feira Popular durante este ano.

Em março de 2014, a Assembleia Municipal de Lisboa autorizou a Câmara a pagar cerca de 101 milhões de euros à empresa Bragaparques para a aquisição dos terrenos da antiga Feira Popular e do Parque Mayer.

Na origem deste processo está a permuta, há uma década, de parte dos terrenos da antiga Feira Popular (então propriedade municipal) pelos do Parque Mayer (que pertenciam à Bragaparques).

O negócio envolveu ainda a venda em hasta pública do lote restante da Feira Popular à Bragaparques, depois de a empresa ter exercido o direito de preferência, passando a deter a totalidade do espaço.

A Feira Popular abriu para a sua última temporada a 28 de março de 2003. Em outubro desse ano fechou portas e, segundo o projeto da Bragaparques, deveria ter-se seguido a construção de um empreendimento com cerca de 700 habitações, comércio e serviços.

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.