sicnot

Perfil

País

CDS-PP quer reforço de avisadores sonoros em passadeiras de Lisboa

O vereador do CDS-PP na Câmara de Lisboa vai propor na terça-feira que sejam reforçados os avisadores sonoros nas passadeiras da cidade, nomeadamente junto às saídas dos transportes, de forma a facilitar os acessos a cegos.

© Rafael Marchante / Reuters

Para isso, o vereador centrista, João Gonçalves Pereira, propõe que a Direção Municipal de Mobilidade e Transportes faça um levantamento das passadeiras com semáforos "nomeadamente, junto às saídas das estações de Metropolitano, interfaces de transportes e mesmo junto a alguns estabelecimentos de ensino, avaliando tecnicamente a possibilidade de colocar os referidos avisadores sonoros", refere a moção a que a agência Lusa teve hoje acesso.

"Esta avaliação deve ser feita em articulação com as associações de deficientes invisuais, que poderão sinalizar prioridades e necessidades mais veementes, respondendo assim aos anseios destes cidadãos", sustenta o autarca no documento.

Quanto ao financiamento destas intervenções, o centrista defende que se deve "reafetar parte da verba necessária inscrita nas Grandes Opções do Plano 2015/2018".

Esta moção surgiu após uma reunião entre o gabinete da vereação do CDS-PP e a delegação de Lisboa da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO).

Em declarações à agência Lusa, o presidente da delegação de Lisboa da ACAPO, Paulo Santos, explicou que a medida possibilita que "as pessoas cegas tenham mais autonomia para poder fazer o atravessamento das ruas".

"É conveniente que num cruzamento haja dois tipos de sons sonoros, um para o sinal verde e outro para o vermelho" e, no caso de não se poder atravessar, "haver um tipo de som com intermitências", apontou Paulo Santos.

O responsável explicou que este sistema já existe na zona central da cidade -- Marquês de Pombal, Avenida da Liberdade e Saldanha --, porém na Avenida Almirante Reis e no Cais do Sodré, por exemplo, isso não se verifica.

Segundo números da ACAPO, a medida iria beneficiar entre 300 a 400 invisuais e amblíopes que circulam diariamente em Lisboa.

Na moção, o CDS-PP recorda que entre 2008 e 2010, a Câmara de Lisboa (de maioria socialista) efetuou várias intervenções para melhorar as condições de acessibilidade, entre as quais a correção da localização das passagens de peões, a melhoria da sinalização horizontal, a correção dos lancis, a instalação de gradeamento para encaminhar os peões entre passagens e a introdução de avisadores sonoros em cruzamentos com semáforos.

 "O CDS-PP defende que a autarquia deve continuar a implementar este tipo de medidas de segurança rodoviária, [...] sempre com o objetivo de garantir um usufruto mais alargado do espaço público por crianças, idosos e pessoas com vários tipos de incapacidade, rumo a uma cidade cada vez mais inclusiva", lê-se ainda no documento que será debatido na reunião camarária de terça-feira.

Lusa
  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.