sicnot

Perfil

País

Portugueses usam mais dados de meteorologia e 100 mil têm 'apps' do IPMA

Os portugueses utilizam cada vez mais informação sobre as condições do tempo, se chove ou faz sol, e mais de 100 mil têm aplicações informáticas do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) nos seus aparelhos móveis.

"A primeira coisa que demonstra o interesse [dos portugueses] é o número de utilizadores das nossas 'apps' [aplicações informáticas] e, neste momento, temos mais de 100 mil pessoas que fizeram 'downloads'", disse hoje à agência Lusa o diretor de Meteorologia e Geofísica do IPMA.

Por outro lado, os contactos dos cidadãos para o IPMA a pedir as previsões do estado do tempo através do telefone "tenderam a diminuir".  

"Até há poucas semanas tinhamos mais detalhe nas 'apps' do que na página [na internet do IPMA], mas, neste momento, a nossa página tem todo o detalhe temporal que as 'apps' têm", explicou Pedro Viterbo que falava a propósito do Dia Mundial da Meteorologia que hoje se assinala.

Não foi só o canal utilizado para distribuir a informação que mudou, a especificidade dos dados e a atualidade também têm vindo a evoluir, e o acesso tem melhorado, devido às novas tecnologias e ao conhecimento nesta área.  

"Provavelmente o excesso de informação [sobre as condições do tempo] pode atemorizar, mas rapidamente as pessoas se habituam", opina o especialista.

Para qualquer informação, "até aos primeiros três dias, temos hora a hora, do ponto de vista de vento, temperatura, precipitação", salientou Pedro Viterbo, acrescentando que para os dados da agitação marítima nos dois primeiros dias a periodicidade é a mesma (hora a hora).

Em alguns setores, como a agricultura, a aviação ou a saúde, a informação meteorológica é decisiva para o planeamento da atividade e o IPMA tem tido essa tarefa ao longo dos anos.   

A primeira 'app' do IPMA tem um cariz genérico, mas no futuro a intenção é apostar em aplicações específicas para os setores e Pedro Viterbo refere o exemplo da agricultura ou da saúde. 

Atualmente, o instituto fornece vários dados à Direção Geral de Saúde, "mas alguma dessa informação poderia ser útil para o público, uma possibilidade que terá de ser concertada" com as autoridades de saúde.

Dados sobre a presença de ozono troposférico, na primavera e no verão, porque contribui para a qualidade do ar, ou sobre períodos de vários dias de temperatura fria ou quente, ou ondas de frio e de calor, são exemplos de informação relevante.

"Neste momento, os médicos já têm um canal próprio para a gestão dos próximos dias.Uma situação de frio significa mais consultas nas unidades de saúde primários", salientou Pedro Viterbo.

Para obter a informação genérica, o IPMA tem, pelo menos, uma estação de monitorização por concelho, mas, principalmente no litoral podem ser mais e as praias são alvo de observações específicas.

No âmbito da 'app' genérica, são mais de 400 pontos de recolha de informação, ou estações, instalados em Portugal continental, além daqueles existentes na Madeira e Açores.



  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalaram-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.