sicnot

Perfil

País

Dez distritos sob aviso amarelo devido ao vento forte

Dez distritos do continente estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de vento forte, de acordo com informação disponível na página do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) na Internet.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

Segundo o IPMA, os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa, Setúbal, Beja e Faro estão sob aviso amarelo, o terceiro mais grave de uma escala de quatro, devido à previsão de vento forte com rajadas da ordem dos 70 quilómetros/hora, podendo atingir nos 90 quilómetros/hora nas terras altas.

O aviso amarelo (emitido pelo IPMA sempre que existe risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica) para estes dez distritos entrou em vigor às 00:00 e termina às 09:00 de hoje.

O IPMA prevê para hoje nas regiões do norte e centro céu pouco nublado, aumentando gradualmente de nebulosidade a partir da manhã, vento fraco a moderado do quadrante norte, soprando moderado a forte no litoral oeste, com rajadas da ordem dos 70 quilómetros/hora até meio da manhã.

Nas terras altas, prevê-se vento forte do quadrante norte, com rajadas da ordem dos 90 quilómetros/hora nas regiões do litoral, tornando-se moderado a forte a partir do meio da manhã.

A previsão aponta ainda para formação de geada nas regiões do interior e pequena descida de temperatura.

No sul prevê-se céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade durante a tarde, vento fraco a moderado do quadrante norte, soprando moderado a forte no litoral oeste e nas terras altas, com rajadas da ordem dos 70 quilómetros/hora até meio da manhã.

Em Lisboa as temperaturas vão variar entre 8 e 15 graus Celsius, no Porto entre 6 e 14, em Viseu entre 2 e 12, em Bragança entre 0 e 12, na Guarda entre -2 e 7, em Castelo Branco entre 4 e 15, em Évora entre 6 e 16, em Beja entre 7 e 16 e em Faro entre 9 e 18.


Lusa


  • Hospitais vão ser penalizados se não cumprirem tempos de espera
    2:37

    País

    O Ministério da Saúde vai penalizar os hospitais que não cumprem os tempos de espera nas urgências e que tenham taxas elevadas de cesarianas. O novo modelo de financiamento prevê ainda linhas de financiamento próprio para a obesidade e rastreios do cancro do cólon e do colo do útero.

  • Assédio, até onde vai a tolerância?
    35:26