sicnot

Perfil

País

Ministra da Agricultura lamenta perda de "profundo apaixonado pela terra"

A ministra das Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, lamentou hoje a morte de Sevinate Pinto, recordando que o setor agrícola perdeu "um profundo apaixonado pela terra".

Assunção Cistas (Lusa)

Assunção Cistas (Lusa)

LUSA

"É uma grande perda para todos nós, para o setor agrícola e para o setor agroalimentar, que muito devem ao dinamismo, ao empenho e à lucidez (de Sevinate Pinto), quer enquanto ministro, quer como consultor e como um profundo apaixonado pela terra", afirmou hoje a governante, em declarações telefónicas à Lusa.


Assunção Cristas disse ainda que se sente "muito grata por todos os ensinamentos" que recebeu do antigo ministro da Agricultura do Governo de Durão Barroso.


"Quem me deu a minha primeira lição de agricultura e de política agrícola foi o engenheiro Sevinate Pinto mal soube das minhas funções e foi sempre, durante estes anos, uma presença muito amiga e muito constante. Pessoalmente, sinto muito esta perda", lamentou a ministra.


Natural de Ferreira do Alentejo, no distrito de Beja, Armando José Cordeiro Sevinate Pinto morreu esta noite num hospital de Lisboa, aos 69 anos de idade.


Licenciado em Engenharia Agrónoma pelo Instituto Superior de Agronomia, Sevinate Pinto foi ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas do XV Governo Constitucional PSD/CDS-PP, dirigido por Durão Barroso, entre 06 de abril de 2002 a 17 de julho de 2004.


Lusa
  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida