sicnot

Perfil

País

Passos Coelho e Ferro Rodrigues em debate crispado, com dois deputados do PS pelo meio

O líder parlamentar do PS condenou hoje a forma como o primeiro-ministro se referiu ao dirigente socialista João Galamba, enquanto Passos Coelho invocou o deputado do PS Agostinho Santa para rejeitar a partidarização na administração pública.

M\303\201RIO CRUZ

Os nomes dos deputados socialistas João Galamba e Agostinho Santos (apesar de Passos Coelho não ter referido o seu nome) vieram à baila no debate quinzenal, durante as fases mais crispadas entre o primeiro-ministro e o presidente do Grupo Parlamentar do PS, Ferro Rodrigues.

Na sua última intervenção, depois de se referir ao caso da lista de contribuintes VIP, Ferro Rodrigues atacou o executivo PSD/CDS pela política de nomeações para cargos de direção na administração pública.

"Nunca se viu uma partidarização tão grande na administração pública como agora", disse - uma acusação imediatamente negada por Pedro Passos Coelho, que apontou o exemplo da nomeação do deputado socialista Agostinho Santa, após ter sido candidato ao lugar de inspetor-geral adjunto de educação.

"Não só não existe nenhuma partidarização da administração pública, como há inúmeros exemplos que o atestam. Fique o senhor deputado (Ferro Rodrigues) a saber que na sua bancada há pelo menos uma pessoa que é deputado e que, enquanto for deputado, não assumirá o lugar de direção para o qual foi selecionado e escolhido", apontou o primeiro-ministro, antes de contrapor que o anterior sistema em vigor nos anteriores governos socialistas é que "permitiam a escolha político-partidária".

Já o caso com João Galamba surgiu depois de o primeiro-ministro reagir a apartes que estavam a ser feitos pelo membro do Secretariado Nacional do PS enquanto justificava a sua tese de que o país se encontrava em trajetória de recuperação.

"Não sei quem é o deputado excitado que está sempre? Ah, é o senhor deputado Galamba, mais uma surpresa neste debate", comentou Pedro Passos Coelho, com a presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, a advertiu que "os apartes sistemáticos boicotam a intervenção do orador".

Ferro Rodrigues reagiu depois com violência a este episódio: "A deselegância política e pessoal do primeiro-ministro em relação ao deputado João Galamba não tem nenhuma espécie de aliança nesta bancada".

"O senhor primeiro-ministro tem de respeitar todos os deputados, um a um. E o deputado João Galamba é um grande deputado deste parlamento", defendeu o presidente da bancada do PS.

Lusa
  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os discursos de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa estiveram no Jornal da Noite da SIC, onde analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O Diretor de Informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida