sicnot

Perfil

País

CNE reconhece "pequeno mas significativo lapso" nas eleições na Madeira

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) reconheceu esta quarta-feira que houve o lapso de uma aplicação informática, que não considerou os votos da ilha de Porto Santo.

Em comunicado, a CNE fala em lapso "pequeno" mas significativo, que foi "prontamente corrigido". A comissão lamenta que a situação tenha gerado alarme e "incompreensões" na opinião pública.

Em comunicado, a CNE fala em lapso "pequeno" mas significativo, que foi "prontamente corrigido". A comissão lamenta que a situação tenha gerado alarme e "incompreensões" na opinião pública.

TIAGO PETINGA / Lusa

Em comunicado, a CNE fala em lapso "pequeno" mas significativo, que foi "prontamente corrigido". A comissão lamenta que a situação tenha gerado alarme e "incompreensões" na opinião pública.

A comissão sublinha que nenhum dos membros da assembleia de apuramento tem quaisquer responsabilidades.

Esta terça-feira, foi confirmada a maioria absoluta do PSD-Madeira. 

No domingo, os resultados provisórios atribuíram 24 deputados ao PSD. Pouco depois das 20:00, foi afixado um edital no qual os sociais-democratas perdiam um deputado. Por volta das 22:00, a assembleia-geral de apuramento detetou que os votos do Porto Santo não tinham sido contabilizados, por causa de um erro informático.

O PSD Madeira voltava assim a conseguir a maioria absoluta.
  • PSD perdeu e reconquistou maioria absoluta na Madeira em poucas horas
    3:12

    País

    Esta terça-feira, viveu-se uma autêntica trapalhada eleitoral, mas, no final das contas, o PSD manteve a maioria absoluta na região. Isto depois de, ao início da noite, uma recontagem dos votos ter retirado a maioria absoluta dos sociais-democratas na Madeira. Contudo, horas depois, foi feita uma nova contagem, já que a votação do Porto Santo não tinha sido considerada para a atribuição dos mandatos. A CDU já fez saber que vai recorrer ao Tribunal Constitucional para pedir uma recontagem total dos votos.

  • Coreia do Norte foi "isolada à força"

    Mundo

    O empresário espanhol León Smit, que organiza visitas à Coreia do Norte, diz que o país foi "isolado à força", sendo "muito difícil" estabelecer relações comerciais com Pyongyang, sob o regime de Kim Jong-un.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite