sicnot

Perfil

País

Costa fala em "brilhante carreira" de Silva Lopes ao serviço de Portugal

O secretário-geral socialista, António Costa, e o PS lamentaram esta quinta-feira a morte do antigo ministro e governador do Banco de Portugal José Silva Lopes, destacando a sua "brilhante carreira" ao serviço do desenvolvimento económico nacional.

A notícia da morte de José Silva Lopes, aos 82 anos, que foi ministro de vários governos provisórios após o 25 de Abril de 1974 e do III Governo Constitucional, foi transmitida pelo Banco de Portugal, instituição em que desempenhou as funções de governador. (Arquivo)

A notícia da morte de José Silva Lopes, aos 82 anos, que foi ministro de vários governos provisórios após o 25 de Abril de 1974 e do III Governo Constitucional, foi transmitida pelo Banco de Portugal, instituição em que desempenhou as funções de governador. (Arquivo)

SIC

A notícia da morte de José Silva Lopes, aos 82 anos, que foi ministro de vários governos provisórios após o 25 de Abril de 1974 e do III Governo Constitucional, foi transmitida pelo Banco de Portugal, instituição em que desempenhou as funções de governador. 

Num comunicado enviado à agência Lusa, o PS e o seu secretário-geral, António Costa, manifestaram "o seu profundo pesar" pela notícia da morte de Silva Lopes. 

"O doutor Silva Lopes serviu o país de forma dedicada e relevante, quer como membro de vários governos provisórios e do III Governo Constitucional, quer como governador do Banco de Portugal, mostrando-se sempre um defensor do crescimento e desenvolvimento económico e social de Portugal. Valores a que sempre se mostrou fiel em toda a sua brilhante carreira como economista", considerou António Costa.

Para o secretário-geral do PS, o desaparecimento do economista José Silva Lopes "constitui uma grande perda para todos os que se reveem naqueles valores e princípios". 

"À sua família e aos seus amigos, o PS e o seu secretário-geral apresentam as suas sentidas condolências", acrescenta a mesma nota.
Lusa
  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".

  • O regresso a casa depois do incêndio no Sardoal
    2:43
  • Cerca de 20 mil portugueses vivem em Barcelona
    1:44