sicnot

Perfil

País

O minuto a minuto da explosão em Sesimbra

 Filme dos acontecimentos da explosão, na quarta-feira à noite, em pedreira de Sesimbra pertencente à Sobrissul e motivada pela destruição  controlada de resíduos explosivos. Não se registaram feridos nem danos materiais, segundo os bombeiros de Sesimbra. 

Arquivo SIC

22:23 

Bombeiros de Sesimbra começam a receber telefonemas a alertar para um estrondo na zona. 

22:47

Bombeiros de Sesimbra confirmam tratar-se de uma explosão em Sesimbra, num paiol de uma pedreira. Na redação da Lusa são recebidos vários telefonemas a dar conta do estrondo, de pessoas em Setúbal, Lisboa e até Cascais. 

O estrondo foi ouvido em locais como Azeitão, Quinta do Conde, Verdizela, Barreiro, Cascais, Fonte da Telha, Costa da Caparica.



22:51 

Fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) confirmou à Lusa a informação do estrondo. Nesta altura, desconhece-se se existem vítimas ou danos materiais.



23:20

Bombeiros de Sesimbra confirmam que explosão se deu no paiol do estaleiro da pedreira Sobrissul, em Sesimbra.



23:35 

Os bombeiros desmobilizam do local. Informam que a explosão não fez vítimas nem há informação sobre a existência de danos materiais.


23:56 - PSP confirma que a explosão foi provocada por uma empresa que procedia à destruição programada de resíduos explosivos.



Lusa
  • Obras no Miradouro de São de Pedro de Alcântara não foram a concurso
    2:50

    País

    As obras no Miradouro de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, arrancaram esta segunda-feira. A intervenção foi adjudicada à construtora Teixeira Duarte sem concurso público. A autarquia justifica esta decisão com o caráter urgente da obra, argumento que não consta do relatório do Laboratório Nacional de Engenheria Civil, a que a SIC teve acesso.

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.