sicnot

Perfil

País

Incêndio em Braga mantém frente ativa

O incêndio em mato que deflagrou no sábado na localidade de Fundevilla, concelho de Vieira do Minho, mantém uma frente ativa e está a progredir num local de difícil acesso, segundo informação disponível na página internet da Proteção Civil.

Lusa

O incêndio teve início às 23:55 horas de sábado e às 06:47 de hoje mobilizava 30 bombeiros apoiados por nove veículos.

Segundo a Proteção Civil, o incêndio está a progredir num local de difícil acesso aos veículos de combate, estando a ser efetuado com recurso a ferramentas manuais.

A Proteção Civil deu, entretanto, como dominado às 06:58 um outro incêndio ativo desde quinta-feira na localidade de Nogueira, concelho de Sever do Vouga, distrito de Aveiro, que mobilizou mais de 300 bombeiros e 90 veículos.

Dominado foi também o incêndio que desde sábado consumia uma zona de mato em Ervideiro, concelho de Terras do Bouro, distrito de Braga.

Ainda no distrito de Braga, na localidade de Fraga, concelho da Póvoa do Lanhoso, os bombeiros dominaram em poucas horas um incêndio em mato que deflagrou durante a madrugada.

O fogo, que mobilizou 11 bombeiros e quatro veículos, começou por volta das três e meia da manhã, tendo sido dado como dominado às 07:23. 










Lusa
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41