sicnot

Perfil

País

Incêndio em Braga mantém frente ativa

O incêndio em mato que deflagrou no sábado na localidade de Fundevilla, concelho de Vieira do Minho, mantém uma frente ativa e está a progredir num local de difícil acesso, segundo informação disponível na página internet da Proteção Civil.

Lusa

O incêndio teve início às 23:55 horas de sábado e às 06:47 de hoje mobilizava 30 bombeiros apoiados por nove veículos.

Segundo a Proteção Civil, o incêndio está a progredir num local de difícil acesso aos veículos de combate, estando a ser efetuado com recurso a ferramentas manuais.

A Proteção Civil deu, entretanto, como dominado às 06:58 um outro incêndio ativo desde quinta-feira na localidade de Nogueira, concelho de Sever do Vouga, distrito de Aveiro, que mobilizou mais de 300 bombeiros e 90 veículos.

Dominado foi também o incêndio que desde sábado consumia uma zona de mato em Ervideiro, concelho de Terras do Bouro, distrito de Braga.

Ainda no distrito de Braga, na localidade de Fraga, concelho da Póvoa do Lanhoso, os bombeiros dominaram em poucas horas um incêndio em mato que deflagrou durante a madrugada.

O fogo, que mobilizou 11 bombeiros e quatro veículos, começou por volta das três e meia da manhã, tendo sido dado como dominado às 07:23. 










Lusa
  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.