sicnot

Perfil

País

Seguradora Axa vai avançar com despedimento de 67 trabalhadores

A companhia de seguros Axa Portugal avançou com um despedimento coletivo de 67 pessoas, estando neste momento a decorrer reuniões em vários pontos do país para ser comunicada a decisão da seguradora, disse esta terça-feira fonte sindical.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Atividade Seguradora (STAE), Carlos Marques, afirmou que a Axa Portugal tomou esta decisão devido ao "encerramento de balcões, supressão de postos de trabalho únicos e uma avaliação de desempenho negativa" de vários funcionários. (Arquivo)

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Atividade Seguradora (STAE), Carlos Marques, afirmou que a Axa Portugal tomou esta decisão devido ao "encerramento de balcões, supressão de postos de trabalho únicos e uma avaliação de desempenho negativa" de vários funcionários. (Arquivo)

© Mick Tsikas / Reuters

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Atividade Seguradora (STAE), Carlos Marques, afirmou que a Axa Portugal tomou esta decisão devido ao "encerramento de balcões, supressão de postos de trabalho únicos e uma avaliação de desempenho negativa" de vários funcionários.

Segundo o líder sindical, "estão a decorrer neste momento várias reuniões coletivas em que está a ser proposto aos trabalhadores abrangidos pelo despedimento coletivo um documento para assinar", sendo que Carlos Marques está a aconselhar os funcionários a não assinarem e a pedirem apoio jurídico ao STAE.

Para Carlos Marques, esta é "uma situação muito rara nos seguros e com contornos muito inusitados", uma vez que, a acontecer o despedimento coletivo, será o primeiro no setor. 

"Houve já, ao longo dos anos, várias situações de ameaça de despedimento coletivo mas nunca se chegaram a concretizar, havendo sempre uma solução pacífica para ambos", adiantou.

Em tom de lamentação, o líder sindical disse que "não é admissível esta forma de atuar, sendo que, no setor, existe uma certa paz social".
Lusa
  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05