sicnot

Perfil

País

Sampaio considera Objetivos do Milénio "extraordinário indutor do desenvolvimento"

O ex-Presidente da República Jorge Sampaio considerou hoje que os 'Objetivos do Milénio' foram um "extraordinário indutor do desenvolvimento" nos últimos 15 anos, mas no futuro a agenda só será bem-sucedida se "assentar numa parceria reforçada".

© Rafael Marchante / Reuters

"Qualquer que seja o texto final da agenda para o pós 2015, esta só será bem-sucedida se assentar numa parceria reforçada com base num compromisso firme entre todos os países, organizações e agentes quanto aos objetivos a alcançar, os prazos e os recursos a disponibilizar", disse Jorge Sampaio na conferência "Pós 2015: o mundo que queremos", organizada pela revista Courrier Internacional, em Lisboa.

O ex-Presidente da República afirmou também não ter "qualquer dúvida de que a agenda dos ODM [Objetivos de Desenvolvimento do Milénio], pela sua visão forte e simples, foi um extraordinário indutor do desenvolvimento nos últimos 15 anos".

Para o antigo chefe de Estado, "nunca houve uma tão forte mobilização e conjunção internacional de esforços" ou uma "monotorização tão rigorosa dos processos realizados", nunca os resultados foram obtidos "tão consistentemente" e de uma "forma tão sistemática e continuada" como nos últimos 15 anos.

Quanto à agenda 2015/2030, Jorge Sampaio defendeu que os países devem prosseguir "firmemente os objetivo que ainda não foram alcançados", bem como consolidar e reforçar os objetivos já conseguidos.

O antigo chefe de Estado apresentou ainda o desenvolvimento económico, a sustentabilidade ambiental e a inclusão social como as linhas mestras que qualquer sociedade deve adotar nos próximos 15 anos.

Durante a sua intervenção na primeira conferência que assinala os dez anos da publicação em português, o também antigo enviado do secretário-geral das Nações Unidas para a luta contra a tuberculose aproveitou para lembrar que antes de existirem os ODM "as grandes instituições financeiras internacionais, quer fosse o Banco Mundial ou o FMI [Fundo Monetário Internacional], até desincentivavam as políticas públicas em geral, como condição do seu apoio", tanto nos países desenvolvidos como nos países em desenvolvimento.










Lusa
  • Governo quer aumentar fiscalização a baixas fraudulentas
    1:10

    País

    O Governo quer criar uma bolsa de médicos para fiscalizar quem recebe o subsídio por doença. A intenção foi manifestada à TSF pela secretária de Estado da Segurança Social. Em 2016 foram detetados mais de 56 mil trabalhadores com baixa médica que afinal estavam aptos para trabalhar.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.