sicnot

Perfil

País

Santana Lopes vê com pena retirada de Guterres da corrida presidencial

O antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes afirmou esta sexta-feira que é "com pena" que vê a retirada de António Guterres da corrida presidencial e considerou que o caminho para a direita não fica mais facilitado.

O ex-primeiro-miunistro socialista António Guterres afirmou hoje que "não é candidato a ser candidato" presidencial, em entrevista ao canal de televisão Euronews, em Bruxelas. (Arquivo)

O ex-primeiro-miunistro socialista António Guterres afirmou hoje que "não é candidato a ser candidato" presidencial, em entrevista ao canal de televisão Euronews, em Bruxelas. (Arquivo)

© Muhammad Hamed / Reuters

"Eu, no dia 19 de julho de 2014, dei uma entrevista ao semanário Expresso em que disse que teria muito gosto em que o candidato da esquerda fosse o engenheiro António Guterres, que o achava mais estimulante e, por isso, neste momento, é com pena que o vejo retirado da corrida presidencial", disse Pedro Santana Lopes, em Pousos, concelho de Leiria, à margem de um jantar comemorativo dos 40 anos do PSD.

O ex-primeiro-miunistro socialista António Guterres afirmou hoje que "não é candidato a ser candidato" presidencial, em entrevista ao canal de televisão Euronews, em Bruxelas.

"Já me fizeram essa pergunta muitas vezes e eu respondo sempre que não sou candidato a ser candidato. Sempre me interessei pelo serviço público e pretendo continuar a fazê-lo, mas o que gosto mais de fazer é o tipo de função que tenho atualmente, que permite ter uma ação permanente e direta sobre o que se passa no terreno", declarou Guterres, quando questionado sobre a sua disponibilidade para se candidatar às presidenciais de 2016.

"Isto não corresponde a funções, que são muito importantes do ponto de vista do equilíbrio de um país, do ponto de vista de garantir a sua estabilidade, mas não permitem a mesma ação diária para ajudar pessoas que precisam dramaticamente de ajuda, do nosso apoio", justificou o Alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados.

O antigo líder do PSD, que em fevereiro passado remeteu uma eventual candidatura à Presidência da República para outubro, disse não concordar com este ponto da declaração de Guterres.

"Acho que há aí uma deficiência no modo como o engenheiro António Guterres vê a função da presidência", assinalou, argumentando ver esta "exatamente da maneira contrária", pois "o Presidente da República tem que estar sempre próximo dos portugueses, principalmente dos mais pobres, neste ciclo que aí vem, dos mais desfavorecidos, empenhado na coesão territorial e na coesão social".

Questionado sobre se, para a direita, o caminho fica mais facilitado com a decisão hoje tornada pública, Pedro Santana Lopes respondeu negativamente.

"Eu acho que não fica, eu acho que aquilo que é óbvio demais é sempre de desconfiar", comentou, garantindo: "Se eu pudesse ser candidato adoraria defrontar o engenheiro Guterres".

Pedro Santana Lopes referiu que António Guterres "é um pouco, com o devido respeito, como o doutor António Costa, está no Olimpo, ou seja, nesta fase só tem qualidades, como o doutor António Costa antes de assumir a liderança do PS".

Confrontado com declarações recentes de que iria tentar resguardar-se e não ir a eventos como o de hoje e se era uma coincidência o antigo líder do PSD Marcelo Rebelo de Sousa marcar hoje presença em Beja, enquanto ele está em Leiria, Santana Lopes respondeu: "Coincidência era estarmos os dois no mesmo sítio".

"Tenho estado a fazer uma média de uma vez por mês, que acho que é mais calmo, se aceitasse os convites todos, era todas as semanas", assegurou.

Lusa
  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • Explosão próximo do aeroporto de Damasco

    Mundo

    A televisão do movimento xiita libanês Hezbollah, aliado do regime sírio, noticiou hoje que a explosão ocorrida esta madrugada perto do aeroporto de Damasco "foi provavelmente" resultado de um ataque israelita contra depósitos de combustível.

  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Os filhos do divórcio
    20:50
  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • "Esta moda bizarra de não vacinar crianças tem tido estas consequências"
    1:43

    Surto de sarampo

    Há mais um caso de sarampo registado pela Direção-Geral da Saúde, no total já são 25. Francisco George garantiu que a situação não é preocupante para as crianças em idade escolar e recomendou uma discussão parlamentar sobre a vacinação. Mais de 11 mil pessoas já assinaram uma petição pública a defender a vacinação obrigatória. 

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.