sicnot

Perfil

País

Movimento anti-portagens critica rejeição de petição para fim do pagamento na A22

O Movimento Algarve Sem Portagens criticou esta quarta-feira a maioria parlamentar PSD/CDS-PP e o PS por terem rejeitado uma petição que visava a suspensão das portagens na Via do Infante (A22) e foi assinada por cerca de 6500 pessoas.

Esta atitude demonstra, segundo o movimento, um "claro desprezo" dos deputados da maioria e do maior partido da oposição "não apenas por estes algarvios, mas por todos os que de uma forma ou outra têm erguido a voz contra as portagens na Via do Infante". (Arquivo)

Esta atitude demonstra, segundo o movimento, um "claro desprezo" dos deputados da maioria e do maior partido da oposição "não apenas por estes algarvios, mas por todos os que de uma forma ou outra têm erguido a voz contra as portagens na Via do Infante". (Arquivo)

Lusa

Numa conferência de imprensa realizada hoje, em Faro, o Movimento criticou os deputados destas três forças partidárias eleitos pelo círculo de Faro por, no parlamento, votarem contra as iniciativas que pedem a suspensão do pagamento na antiga Autoestrada Sem Custos para o Utilizador (SCUT) do Algarve (A22) e, na região, fazerem declarações contra as portagens.

O Movimento lamentou que, a 01 de abril, a comissão de Economia e Obras Públicas da Assembleia da República tivesse "rejeitado liminarmente" a petição "subscrita por mais de 6.500" pessoas no espaço de um mês e considerou que o número de subscritores é "bastante demonstrativo do descontentamento dos algarvios em relação a este crime que continua a ser cometido contra a região".

Mário Cunha, do Movimento Algarve Sem Portagens, considerou que "os deputados que integram aquela comissão tiveram oportunidade de mostrar qual a sua verdadeira posição sobre as portagens na Via do Infante", mas os parlamentares do PSD, o CDS e o PS acabaram por votar "pelo indeferimento liminar da petição, levando assim ao seu arquivamento".

Esta atitude demonstra, segundo o movimento, um "claro desprezo" dos deputados da maioria e do maior partido da oposição "não apenas por estes algarvios, mas por todos os que de uma forma ou outra têm erguido a voz contra as portagens na Via do Infante".

O argumento invocado pelo PSD, CDS-PP e PS para rejeitarem a petição foi o de a suspensão de portagens na A22 já ter sido anteriormente apreciada e rejeitada pela mesma comissão parlamentar, referiu ainda o dirigente do movimento. 

"Não obstante ser verdade que as portagens na Via do Infante já foram tema de uma petição promovida em junho de 2013, cerca de sete meses depois da introdução das portagens naquela via [a 08 de dezembro de 2011], há que esclarecer que a petição apresentada por este movimento tinha como base já não as previsões pessimistas dos nefastos efeitos na vida e economia do Algarve com a introdução das portagens, mas a realidade vivida diariamente na região e que bem demonstra os custos das portagens na Via do Infante", frisou.

Estes custos são "muito superiores aos custos que resultavam da suposta gratuitidade da utilização da Via" e "colocam em causa o já enfraquecido tecido empresarial da região" do Algarve, "destruindo postos de trabalho e afastando para outras regiões muitos negócios", criticou ainda o movimento. 

"E isto sem esquecer os gravíssimos custos sociais que resultam de um desvio de trânsito para a famigerada Estrada da Morte - a Estrada Nacional 125 - que não sendo, como nunca foi nem nunca será, uma alternativa à Via do Infante, tem custado demasiadas vidas à região algarvia", acrescentou.
Lusa
  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.