sicnot

Perfil

País

Mário Soares agradado com medidas do plano macroeconómico do PS

O antigo Presidente da República Mário Soares mostrou-se hoje agradado com as medidas propostas no plano macroeconómico do PS, apresentado na terça-feira, mas escusou-se a fazer mais comentários por considerar não ser oportuno.

JOS\303\211 COELHO

"Gosto das ideias, claro que gosto", afirmou Mário Soares, em declarações recolhidas por televisões à porta do Estabelecimento Prisional de Évora, onde o antigo chefe de Estado visitou, pela quarta vez, o ex-primeiro-ministro José Sócrates.

O cenário macroeconómico prevê a reposição dos salários do setor público em 40% em janeiro de 2016 e da parte restante em 2017, procedendo-se em 2018 ao descongelamento de carreiras, bem como a reposição do IVA da restauração nos 13% já em 2016 e a eliminação gradual da sobretaxa de IRS em duas fases, 50% no próximo ano e 50% em 2017.

Sobre o ex-primeiro-ministro José Sócrates, em prisão preventiva há quase cinco meses, Mário Soares disse que continua a "defender um homem" de quem gosta e de quem é amigo.

"Não o querem ouvir, não o querem julgar porque é que o têm preso?", questionou.

José Sócrates está em prisão preventiva desde o dia 25 de novembro de 2014, indiciado por corrupção, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais, num processo que tem também como arguidos João Perna, o empresário Carlos Santos Silva, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e o administrador da farmacêutica Octapharma, Paulo Lalanda Castro. 

Lusa
  • Tragédia de Vila Nova da Rainha foi há uma semana
    7:18
  • Escutas da Operação Marquês "não podem servir de prova"
    1:36

    Operação Marquês

    As defesas de José Sócrates e de Ricardo Salgado queixam-se que as escutas do processo Marquês estão infetadas por um vírus informático. Os advogados dizem que tal como estão as escutas não podem servir de prova. No entanto, o Ministério Público diz que estão reunidas as condições para começar a contar o prazo para a abertura de instrução.

    Luís Garriapa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Admirável mundo novo
    16:17