sicnot

Perfil

País

Turista chinês gastou mais de 900 euros em média por compra em Portugal em 2014

O turista chinês gastou 935 euros em Portugal em média por compra no ano passado, um valor 3,2 vezes acima do da compra média dos turistas angolanos, liderando a lista, divulgou hoje a Global Blue, especialista mundial em turismo de compras.

Andy Wong

"Em Portugal, o turista de compras chinês já está no top dos clientes que mais valor tem despendido por compra", refere a Global Blue em comunicado, adiantando que o valor de compra realizado pelos chineses no ano passado ficou ainda "4,2 vezes acima do valor médio gasto pelos turistas russos".

E acrescenta que o "consumo dos turistas chineses é o que mais tem crescido em Portugal".

Segundo a empresa especialista em turismo de compras em termos globais "está a confirmar-se a prevalência do crescimento de compras tax free graças aos turistas chineses que, pelo sétimo ano consecutivo, são os compradores globais que mais gastam, com uma despesa média de 736 euros por transação", refere o presidente executivo da Global Blue, David Baxby.

Em termos globais, os turistas chineses continuam a ser os maiores compradores, ao gastarem mais de 18% em tax free shopping no ano passado, quando comparado com 2013.

Os compradores globais chineses representam quase um terço (30%) de todos os gastos de compras tax free, seguido dos russos, (14%), Estados Unidos (4%), Indonésia (3%) e Japão (2%).




Lusa

  • Coreia do Norte foi "isolada à força"

    Mundo

    O empresário espanhol León Smit, que organiza visitas à Coreia do Norte, diz que o país foi "isolado à força", sendo "muito difícil" estabelecer relações comerciais com Pyongyang, sob o regime de Kim Jong-un.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite