sicnot

Perfil

País

Windsurfista quase abalroado pelo navio Lobo Marinho ao largo do Porto Santo

© Kieran Doherty / Reuters

Segundo Félix Marques, o windsurfista, de 38 anos de idade e natural da Madeira, não sofreu danos corporais.

O comandante reconheceu que o windsurfista deve ter apanhado "um grande susto", porque "ser quase abalroado pela proa de um navio não deve ser coisa boa".

O navio, que provinha da ilha do Porto Santo, na zona do Galomar, no Caniço de Baixo, no concelho de Santa Cruz, ter-se-á cruzado, pela proa, com um windsurfista que "caiu ao mar e ficou algum tempo sem ser visto".

O comandante do "Lobo Marinho", conta Félix Marques, "desligou as máquinas do navio e iniciou os procedimentos de busca e, quando a ondulação passou, foi então avistado o jovem praticante de windsurf".

Entretanto, a embarcação "Bonita da Madeira", que navegava nas proximidades, foi ao encontro do jovem, tendo-o recolhido e, depois, transbordou-o para o salva-vidas da Capitania do Porto do Funchal que o trouxe para a marina do Funchal.

A Capitania do Porto do Funchal vai abrir um inquérito a fim de averiguar o que se passou "ouvindo o comandante do navio e o jovem surfista".

Segundo Félix Marques, "o mar não estava revolto apesar do vento soprar com algumas rajadas".



Lusa
  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.