sicnot

Perfil

País

Ministra da Administração Interna não vai nomear novo secretário de Estado

A ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, esclareceu hoje que não vai nomear um novo secretário de Estado para ocupar o cargo deixado vago por Fernando Alexandre, que pediu a demissão há 15 dias.

MANUEL DE ALMEIDA (Lusa)

"Estamos a trabalhar de acordo com o previsto, reformulando as equipas de acordo com aquilo que são, que eram e continuam a ser, os objetivos traçados", afirmou Anabela Rodrigues, que acrescentou: "Não vou substituir o secretário de Estado".

A ministra da Administração Interna falava aos jornalistas à margem da cerimónia comemorativa do 20.º aniversário da Escola Nacional de Bombeiros, em Sintra.

As equipas de trabalho vão acompanhar as pastas que estavam sob a responsabilidade de Fernando Alexandre, que se demitiu do cargo de secretário de Estado Adjunto da ministra da Administração Interna a 22 de abril, alegando motivos pessoais.

"Estamos a trabalhar e a formar uma equipa de trabalho, para, de acordo com o que estava previsto, cumprir os objetivos que estavam e continuam a estar traçados", explicou Anabela Rodrigues.

Questionada sobre a alegada existência de falta de diálogo entre a direção das forças de segurança e o ministério, a governante assegurou que "não há qualquer problema com as chefias da polícia".

Em relação aos novos estatutos profissionais da PSP e da GNR, tema que tem provocado descontentamento entre as associações sindicais do setor, Anabela Rodrigues adiantou que "oportunamente serão tratados dentro do quadro negocial que já foi iniciado e que se mantém".

O Ministério da Administração Interna (MAI) apresentou, no início de março, aos sindicatos da PSP a proposta de alteração ao estatuto profissional da Polícia de Segurança Pública, que gerou descontentamento entre os polícias, tendo estes ameaçado mesmo com ações de protesto.

Entretanto, os sindicatos da PSP entregaram, na semana passada, à ministra uma proposta conjunta, na qual consta os contributos dos polícias para a revisão do estatuto pessoal da PSP.

Em relação ao estatuto profissional da GNR, Anabela Rodrigues ainda não apresentou qualquer proposta às associações socioprofissionais da Guarda Nacional Republica.

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15