sicnot

Perfil

País

Ministra da Administração Interna não vai nomear novo secretário de Estado

A ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, esclareceu hoje que não vai nomear um novo secretário de Estado para ocupar o cargo deixado vago por Fernando Alexandre, que pediu a demissão há 15 dias.

MANUEL DE ALMEIDA (Lusa)

"Estamos a trabalhar de acordo com o previsto, reformulando as equipas de acordo com aquilo que são, que eram e continuam a ser, os objetivos traçados", afirmou Anabela Rodrigues, que acrescentou: "Não vou substituir o secretário de Estado".

A ministra da Administração Interna falava aos jornalistas à margem da cerimónia comemorativa do 20.º aniversário da Escola Nacional de Bombeiros, em Sintra.

As equipas de trabalho vão acompanhar as pastas que estavam sob a responsabilidade de Fernando Alexandre, que se demitiu do cargo de secretário de Estado Adjunto da ministra da Administração Interna a 22 de abril, alegando motivos pessoais.

"Estamos a trabalhar e a formar uma equipa de trabalho, para, de acordo com o que estava previsto, cumprir os objetivos que estavam e continuam a estar traçados", explicou Anabela Rodrigues.

Questionada sobre a alegada existência de falta de diálogo entre a direção das forças de segurança e o ministério, a governante assegurou que "não há qualquer problema com as chefias da polícia".

Em relação aos novos estatutos profissionais da PSP e da GNR, tema que tem provocado descontentamento entre as associações sindicais do setor, Anabela Rodrigues adiantou que "oportunamente serão tratados dentro do quadro negocial que já foi iniciado e que se mantém".

O Ministério da Administração Interna (MAI) apresentou, no início de março, aos sindicatos da PSP a proposta de alteração ao estatuto profissional da Polícia de Segurança Pública, que gerou descontentamento entre os polícias, tendo estes ameaçado mesmo com ações de protesto.

Entretanto, os sindicatos da PSP entregaram, na semana passada, à ministra uma proposta conjunta, na qual consta os contributos dos polícias para a revisão do estatuto pessoal da PSP.

Em relação ao estatuto profissional da GNR, Anabela Rodrigues ainda não apresentou qualquer proposta às associações socioprofissionais da Guarda Nacional Republica.

  • CGD terá de reconhecer imparidades e prepara saída de 2 mil funcionários
    2:45

    Caso CGD

    O novo plano estratégico da Caixa está pronto e foi entregue há duas semanas ao Ministério das Finanças. A SIC sabe que está a ser preparada a saída de 2 mil trabalhadores e que o banco terá de reconhecer imparidades. O Expresso diz que a CGD vai fechar o ano com prejuízos que podem chegar aos 3 mil milhões de euros.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.