sicnot

Perfil

País

Tribunal confirma pena de 3 anos e meio para motorista acusado de abusos

O Tribunal de Torres Vedras voltou a condenar hoje um motorista acusado por abusos sexuais a três anos e seis meses de prisão efetiva. A Relação tinha considerado nulo o acórdão.

Na leitura do segundo acórdão da primeira instância, o juiz Rui Alexandre explicou que o coletivo de juízes decidiu manter a pena de prisão efetiva em vez da suspensão da pena na sua execução, apesar de já terem passado dois anos desde o primeiro acórdão.

Desta vez, "nem a pena, nem a motivação foram alteradas".

O homem, agora com 69 anos, foi condenado por seis crimes de abuso sexual e foi absolvido de outros dois de abuso sexual, bem como de um outro de violação e de rapto. 

Na primeira leitura do acórdão, o juiz justificou a aplicação de pena de prisão efetiva pelo facto de "este tipo de crimes chocar a comunidade", motivo pelo qual o "tribunal tem de dar um sinal de que estas condutas são condenáveis".

O Tribunal de Torres Vedras deu como provada parte dos factos da acusação do Ministério Público, segundo a qual, entre 2005 e 2010, o arguido aliciou crianças, entre os quatro e os 10 anos, que transportava entre as localidades onde residiam e a escola, numa carrinha de uma junta de freguesia do interior do concelho. O homem trabalhava para a autarquia desde 2002.

O julgamento foi reaberto em abril por ordem do Tribunal da Relação de Lisboa, que declarou nulo o anterior acórdão de primeira instância.

De acordo com a Relação, ao modificar a acusação de cinco crimes de abuso sexual na forma continuada para seis crimes de abuso sexual, o coletivo de juízes procedeu a uma alteração substancial dos factos. Nesse sentido, teria de solicitar às partes autorização para continuar o julgamento, após essa alteração, caso contrário teria de juntar mais provas.

Na última sessão, as partes concordaram em continuar o julgamento, sem juntar mais meios de prova. 

Apesar do acórdão da Relação de Lisboa, estão pendentes outros recursos, nomeadamente das vítimas, para quem existe provas para condenar o arguido por um maior número de crimes, estando o processo longe de transitar em julgado.

O arguido, que negou os factos e os desvalorizou sem assumir qualquer culpa durante o julgamento, foi ainda condenado a pagar indemnizações no valor de 2.000 e 3.000 euros a duas das vítimas.

O arguido foi detido pela Polícia Judiciária em 2010. Esteve dez dias em prisão preventiva e um ano e meio com pulseira eletrónica a aguardar julgamento, fase em que esteve apenas sujeito ao termo de identidade e residência.


Com Lusa
  • Motorista acusado de abusos conhece sentença dia 8 maio
    2:12

    País

    No próximo dia 8 de maio, vai ser lido o acórdão do caso do motorista de Torres Vedras acusado de abuso sexual de crianças. Tinha sido condenado a 3 anos e meio de prisão mas o Tribunal da Relação anulou a decisão de primeira instância e mandou repetir o julgamento.

  • O perfil do homicida de Barcelos
    2:42

    País

    Adelino Gomes Briote já tinha sido condenado por ofensas à integridade física da sogra e de uma filha. Em seis meses esta foi a segunda vez que o homem acusado do quádruplo homicídio em Barcelos esteve perante a justiça.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.

  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.

  • Guerra na Síria não dá tréguas
    1:51

    Mundo

    Na Síria e ao mesmo tempo que decorrem novas negociações de paz, a guerra não dá tréguas. As imagens mostram o resultados dos últimos raides aéreos nos subúrbios de Damasco. O balanço provisório é de mais de 30 mortos e pelo menos 50 feridos.