sicnot

Perfil

País

Sindicato Jornalistas apresenta aos partidos posição sobre lei de cobertura de eleições

O Sindicato dos Jornalistas é hoje recebido pelos deputados do PSD, PS, CDS-PP e PCP para transmitir a sua posição sobre a lei de cobertura das eleições pelos media e as suas preocupações relativas à situação no setor.

De acordo com uma nota do Sindicato dos Jornalistas (SJ), este será "recebido e ouvido por quatro dos partidos com assento parlamentar", PSD, PS, CDS-PP e PCP, hoje à tarde, na Assembleia da República.

Anabela Natário, São José Almeida e Ana Luísa Rodrigues, membros da direção, do Conselho Deontológico e do Conselho Geral, respetivamente, "vão transmitir aos deputados (...) as suas preocupações do SJ sobre a situação no setor e a sua posição sobre a polémica revisão da lei que regula a cobertura das eleições e das campanhas eleitorais", adianta a nota.

Na semana passada, a direção e o Conselho Deontológico do SJ defenderam, numa posição conjunta, que a revisão da lei sobre a cobertura de eleições e campanhas eleitorais pelos meios de comunicação social tem de garantir a liberdade de imprensa.

Em comunicado, sublinharam que o debate da revisão da lei sobre a cobertura das eleições pelos media "continua na ordem do dia, após o feliz malogro de uma primeira tentativa abusiva de controlar a liberdade de informação, da iniciativa de PSD, CDS-PP e PS", mas "o processo legislativo prossegue e, a julgar pelas declarações diárias de figuras públicas sobre o assunto, uma revisão da lei parece mais do que certa".

O anteprojeto da iniciativa do PSD, CDS-PP e PS, que previa a obrigação de todos os órgãos de comunicação social apresentarem previamente os "planos de cobertura" das eleições a uma comissão mista composta por membros da Comissão Nacional de Eleições (CNE) e da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), acabou por cair por terra, face às críticas ao documento.

"A direção e o Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas alertam, desde já, para a necessidade de, qualquer que seja a solução que a Assembleia da República venha a encontrar para atualizar a referida lei, esta não pode colidir com a Constituição da República Portuguesa no que respeita à liberdade de imprensa", adiantaram.

Os dois órgãos reiteraram a sua oposição à criação de uma comissão mista entre a CNE e a ERC com o objetivo de autorizar os planos de cobertura das campanhas eleitorais pelos media.

Tanto a direção como o Conselho Deontológico sublinharam "que os jornalistas têm o direito de selecionarem a informação que entenderem, de acordo com critérios editoriais e noticiosos, cabendo aos órgãos de comunicação social assegurar uma cobertura que respeite os princípios da igualdade e do pluralismo, garantindo o direito do público a uma informação abrangente e diversa e o direito dos partidos e outros movimentos a verem divulgados os seus pontos de vista".


  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.