sicnot

Perfil

País

Suspeito de homicídio em Benfica foi identificado e tem 40 anos

O suspeito de ter morto a tiro um homem, na segunda-feira à noite, dentro de um estabelecimento comercial em Benfica, tem 40 anos e foi identificado por 12 pessoas, disse à Lusa fonte da PSP.

SIC

A mesma fonte acrescentou que a Polícia Judiciária tomou conta da ocorrência, depois de a PSP ter sido chamada ao local onde ocorreu o homicídio cerca das 20:45 de segunda-feira.

De acordo com uma das testemunhas, disse a PSP, o homem de 40 anos entrou no estabelecimento em Benfica, onde pediu um café, tendo sido servido e voltado a sair do local. 

Momentos depois, após ter ido à sua viatura, de acordo com as várias testemunhas, voltou a entrar no restaurante/pastelaria, dando a entender que teria algo no bolso do casaco que vestia e pediu novo café.

Depois, adiantou a PSP, a empregada virou-se para tirar o café e ouviu o som de um disparo, fugindo depois para a cozinha à procura de um refúgio, a partir de onde ouviu mais disparos, que atingiram mortalmente a vítima.

No local esteve uma ambulância do INEM e outra Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital de Santa Maria, que tentaram reanimar o ferido, mas o óbito veio a ser declarado pelas 21:42.

A vítima, de 47 anos, era funcionário do estabelecimento.

A fonte policial disse à Lusa que o autor dos disparos se pôs em fuga e que até ao momento não foi detido, apesar de estar identificado e de testemunhas terem anotado a matrícula do carro em que fugiu.

  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.