sicnot

Perfil

País

Jerónimo de Sousa acusa Governo de ter sido "fábrica de pobres"

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, acusou esta quarta-feira o Governo de ter sido "uma autêntica fábrica de pobres", contrapondo a política do executivo que "esmaga os trabalhadores" ao perdão fiscal concedido ao Novo Banco.

"O Governo foi uma autêntica fábrica de pobres em Portugal, ouvi-lo falar só significa que os dramas são apenas danos colaterais de uma política", criticou Jerónimo de Sousa, lamentando o "discurso do apagão da realidade social" tido pelo executivo de maioria PSD/CDS-PP.

"O Governo foi uma autêntica fábrica de pobres em Portugal, ouvi-lo falar só significa que os dramas são apenas danos colaterais de uma política", criticou Jerónimo de Sousa, lamentando o "discurso do apagão da realidade social" tido pelo executivo de maioria PSD/CDS-PP.

TIAGO PETINGA / Lusa

"O Governo foi uma autêntica fábrica de pobres em Portugal, ouvi-lo falar só significa que os dramas são apenas danos colaterais de uma política", criticou Jerónimo de Sousa, lamentando o "discurso do apagão da realidade social" tido pelo executivo de maioria PSD/CDS-PP.

Na intervenção da bancada do PCP no debate quinzenal com o primeiro-ministro, o líder comunista recuperou a questão do perdão fiscal ao Novo Banco", recordando que há duas semanas Pedro Passos Coelho disse não ter havido qualquer regime de exceção para aquela instituição bancária.

"O Governo atribuiu ao Novo Banco um perdão fiscal que não podia atribuir, tentou depois aprovar uma lei para o legalizar e como essa lei não foi publicada a tempo está agora a tentar legalizar o perdão fiscal retroativamente", resumiu Jerónimo de Sousa, falando num valor de perdão fiscal de pelo menos 445 milhões de euros.

Na resposta, o primeiro-ministro lamentou "o preconceito" na forma o PCP coloca a questão do perdão fiscal, reiterando que "não há nenhum regime excecional".

"Nós sob proposta da Autoridade Tributária viabilizámos, ao abrigo do estatuto dos benefícios fiscais, um conjunto de operações do Novo Banco que estão de acordo com as regras do código apropriadas para poderem ser concedidas", explicou, garantindo que nada foi feito "à socapa".

Relativamente às acusações de que o Governo faz "um apagão da realidade", Passos Coelho frisou que o executivo sempre tem referido os aspetos negativos da economia "com muita realidade" e que está consciente dos sacrifícios dos portugueses.

"A realidade não é nenhum dano colateral, existe e nós temos de a combater", assegurou.

Contrapondo as afirmações do primeiro-ministro, Jerónimo de Sousa insistiu nas críticas ao Governo "que é implacável e ordena" aos contribuintes para pagarem, enquanto "perdoa" à banca.

"É uma política de dois pesos e duas medidas", acrescentou.

A concluir a sua intervenção, o secretário-geral do PCP gracejou: "O primeiro-ministro canta bem, mas não me alegra, nem a mim, nem alegra esses milhões de portugueses desempregados ou na pobreza".

"Mas, sinto-me perfeitamente confiante numa coisa: com certeza que o povo português um dia o vai mandar cantar para outra rua", acrescentou.
Lusa
  • Partidos vão apresentar propostas alternativas à descida da TSU
    2:52

    TSU

    O Presidente da República defende a redução da Taxa Social Única mas deixa a porta aberta a outra via para compensar o aumento do salário mínimo. PCP e Bloco de Esquerda insistem que não pode haver contrapartidas que estimulem os salários baixos mas admitem outras formas de aliviar as empresas. À direita, também o CDS irá apresentar propostas.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.