sicnot

Perfil

País

PS admite suspender prova de avaliação de conhecimentos dos professores

O projeto de programa eleitoral do PS, hoje apresentado, prevê a revisão do processo de recrutamento de educadores e professores, visando suspender a realização da prova de avaliação de capacidades e conhecimentos dos docentes.

Nos últimos três dias, milhares de professores responderam à pergunta "Concorda com a municipalização da Educação?" lançada pela Plataforma Sindical de Professores que colocou 2197 mesas de voto nas escolas, entre 2 e 4 de junho. (Arquivo)

Nos últimos três dias, milhares de professores responderam à pergunta "Concorda com a municipalização da Educação?" lançada pela Plataforma Sindical de Professores que colocou 2197 mesas de voto nas escolas, entre 2 e 4 de junho. (Arquivo)

Lusa

A "reponderação" dos fundamentos desta prova de avaliação de capacidades e conhecimentos é uma das medidas equacionadas pelos socialistas e que estará em debate público até 06 de junho, data em que o programa eleitoral do PS terá uma aprovação definitiva em Convenção Nacional do partido.

Em matéria de educação, no projeto de programa também se refere o objetivo de "garantir uma maior estabilidade ao corpo docente, utilizando mecanismos de incentivo à localização de professores em zonas menos atrativas".

Neste capítulo, o PS quer promover a "redução da rotação dos professores por diferentes escolas, garantindo que a colocação dos professores permite o acompanhamento dos alunos durante um ciclo de ensino".

À entrada para a reunião da Comissão Política Nacional do PS desta noite, que procederá a uma primeira apreciação deste documento dos socialistas, o coordenador do programa eleitoral, João Tiago Silveira, afirmou que o processo de debate público em curso "já teve uma participação cívica muito significativa, tendo chegado a mais de 1600 propostas".

"Agora, que temos o documento em cima da mesa, abrimos uma nova fase, com uma discussão até dia 05 de junho para a aprovação final do programa do PS", disse.

Neste contexto, João Tiago Silveira advertiu que "todas as posições apresentadas no projeto de programa estão ainda para debate público".

"Claro que há compromissos que já foram assumidos pelo secretário-geral do PS, António Costa, que honraremos. Mas estas propostas são para debate público", salientou o diretor do Gabinete de Estudos do PS.







Lusa
  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • Homem e cão resgatados das águas na Andaluzia
    0:32