sicnot

Perfil

País

PS admite suspender prova de avaliação de conhecimentos dos professores

O projeto de programa eleitoral do PS, hoje apresentado, prevê a revisão do processo de recrutamento de educadores e professores, visando suspender a realização da prova de avaliação de capacidades e conhecimentos dos docentes.

Nos últimos três dias, milhares de professores responderam à pergunta "Concorda com a municipalização da Educação?" lançada pela Plataforma Sindical de Professores que colocou 2197 mesas de voto nas escolas, entre 2 e 4 de junho. (Arquivo)

Nos últimos três dias, milhares de professores responderam à pergunta "Concorda com a municipalização da Educação?" lançada pela Plataforma Sindical de Professores que colocou 2197 mesas de voto nas escolas, entre 2 e 4 de junho. (Arquivo)

Lusa

A "reponderação" dos fundamentos desta prova de avaliação de capacidades e conhecimentos é uma das medidas equacionadas pelos socialistas e que estará em debate público até 06 de junho, data em que o programa eleitoral do PS terá uma aprovação definitiva em Convenção Nacional do partido.

Em matéria de educação, no projeto de programa também se refere o objetivo de "garantir uma maior estabilidade ao corpo docente, utilizando mecanismos de incentivo à localização de professores em zonas menos atrativas".

Neste capítulo, o PS quer promover a "redução da rotação dos professores por diferentes escolas, garantindo que a colocação dos professores permite o acompanhamento dos alunos durante um ciclo de ensino".

À entrada para a reunião da Comissão Política Nacional do PS desta noite, que procederá a uma primeira apreciação deste documento dos socialistas, o coordenador do programa eleitoral, João Tiago Silveira, afirmou que o processo de debate público em curso "já teve uma participação cívica muito significativa, tendo chegado a mais de 1600 propostas".

"Agora, que temos o documento em cima da mesa, abrimos uma nova fase, com uma discussão até dia 05 de junho para a aprovação final do programa do PS", disse.

Neste contexto, João Tiago Silveira advertiu que "todas as posições apresentadas no projeto de programa estão ainda para debate público".

"Claro que há compromissos que já foram assumidos pelo secretário-geral do PS, António Costa, que honraremos. Mas estas propostas são para debate público", salientou o diretor do Gabinete de Estudos do PS.







Lusa
  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15