sicnot

Perfil

País

Cinco helicópteros Kamov de combate a incêndios estão parados

Cinco helicópteros Kamov de combate a incêndios estão parados

A paragem deve-se a uma questão burocrática, que tem a ver com o processo de transferência para a empresa que ganhou o concurso publico de operação e manutenção dos aparelhos.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil justifica a paragem com a obrigatória avaliação dos meios por parte da empresa que ganhou o concurso público de operação e manutenção dos aparelhos. 

Espera-se que a curto prazo seja possível usar dois ou três dos helicópteros, mas só a 1 de julho, no início da fase mais crítica de incêndios, se prevê que os cinco kamov estejam operacionais. 

Ainda assim, a Proteção Civil diz que o dispositivo atual foi reforçado com mais quatro helicópteros ligeiros e com mais pessoal e viaturas em maior grau de prontidão. 
  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Johnny Depp sugere assassínio de Trump
    0:31