sicnot

Perfil

País

Suicídio responsável por 1.053 mortes em Portugal em 2013, menos 23 face a 2012

Os suicídios foram responsáveis por 1.053 mortes em Portugal em 2013, menos 23 face ao ano anterior, a grande maioria homens com uma média de idade próxima dos 60 anos, revela hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).  

© Susana Vera / Reuters

Segundo a publicação do INE "Causas de morte 2013", as mortes por doença representaram 96% do total de óbitos registados no país em 2013 (106.876) e as causas externas de lesão e envenenamento foram responsáveis por quatro por cento dos óbitos.

No conjunto das causas de morte externas de lesão e envenenamento, evidenciaram-se as lesões auto provocadas intencionalmente (suicídios), que provocaram 1.053 mortes em 2013, menos 2,1% face a 2012, correspondendo a 1% do total de mortes no país.

Cerca de 80% das mortes por suicídio "foram de homens (812), apurando-se uma relação de 336,9 óbitos masculinos por 100 femininos, e correspondendo a 1,5% do total de óbitos de homens no país", refere o INE. 

Quanto à região onde os suicídios foram cometidos, verificou-se que o maior número de óbitos ocorreu na Área Metropolitana de Lisboa (24,1%).

A idade média ao óbito foi de 59,9 anos, semelhante para os dois sexos (59,6 para os homens e 60,7 para as mulheres).

Os dados do INE indicam também que as mortes por perturbações mentais e do comportamento corresponderam a 2,1% da mortalidade no país em 2013.

Nesse ano, foram registados 2.223 óbitos por perturbações mentais e do comportamento, com maior expressão nas mulheres (60%).

A idade média das pessoas que faleceram devido a estas causas foi de 83 anos, mais elevada nas mulheres (85,1 anos) do que nos homens (79,8 anos).

O INE refere que este conjunto de doenças atinge sobretudo as idades mais avançadas - apenas 9% dos óbitos ocorreram antes dos 70 anos em 2013 -- o que explica o número de anos potenciais de vida perdidos ser relativamente baixo (2.528 anos), correspondendo a uma taxa de 28,2 anos por 100 mil habitantes.

No conjunto das mortes provocadas por perturbações mentais e do comportamento, 91,4% corresponderam a mortes por demência (2.032 óbitos).

As causas de morte externas de lesão e envenenamento causaram 4.227 óbitos em 2013, o que representou um aumento de 6,9% face a 2012 (3 955). 

Quase 70% do total destas mortes foram de homens, com uma relação de 200,9 óbitos masculinos por 100 femininos.

A idade média ao óbito devido a estas causas foi de 65 anos, bastante mais elevada para as mulheres (72,3 anos) do que para os homens (61,4 anos). 

Por outro lado, sublinha o INE, "trata-se de um conjunto de causas que, quando comparado com as restantes, afeta relativamente mais as idades prematuras (43,4% dos falecidos tinham menos de 65 anos)".

 O número de anos potenciais de vida perdidos foi 46.519 e a taxa de anos potenciais de vida perdidos foi de 518,6 anos por 100 mil habitantes.

Lusa
  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Pyongyang cria vídeo a simular ataque a navios dos EUA
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos da América pretendem reforçar as sanções à Coreia do Norte e investir nos esforços diplomáticos. Contudo, a tensão militar persiste. Pyongyang emitiu um vídeo em que simula um ataque a navios norte-americanos.

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.