sicnot

Perfil

País

Vacina Prevenar passa a ser comparticipada, em julho chega aos centros de saúde

A vacina Prevenar passa a partir de hoje a ter uma comparticipação estatal de 15% para todos os cidadãos que se dirijam à farmácia com receita médica.

(Reuters/ Arquivo)

A vacina Prevenar previne doenças provocadas pela bactéria pneumococo, como a pneumonia, meningite, otite e septicemia, entre outras.

Segundo a Direção-geral da Saúde (DGS), dentro de um mês, a partir de 1 de julho, a vacina estará disponível nos centros de saúde, uma vez que foi integrada no Programa Nacional de Vacinação, sendo gratuita para todas as crianças nascidas desde 1 de janeiro deste ano.

O esquema de vacinação recomendado fica completo com três doses da vacina, devendo ser administrada aos dois meses, quatro meses e 12 meses.

"A vacina será também gratuita para alguns grupos de riso que serão vacinados mediante indicação médica", refere a DGS num comunicado, sem adiantar contudo mais detalhes.


Lusa
  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Temperaturas negativas em várias zonas do país nos próximos dias
    1:57

    País

    O frio vai começar a fazer-se sentir nos próximos dias com as temperaturas a descerem para valores negativos em várias zonas do país. Em Lisboa, cinco estações de metro vão estar abertas durante a noite para albergar os sem-abrigo que também vão receber agasalhos e refeições quentes.

  • Medalha idêntica à de Anne Frank encontrada em campo nazi

    Mundo

    Um grupo de investigadores encontrou uma medalha praticamente igual à de Anne Frank, nas escavações ao campo nazi de extermínio Sobibor, na Polónia. Os especialistas do Memorial do Holocausto Yad Vashem em Israel acreditam que a medalha pertencia a Karoline Cohn, que pode ter conhecido Anne Frank.