sicnot

Perfil

País

Dono de pensão do Porto condenado a mais de 12 anos de prisão por matar hóspede

O dono de uma pensão do Porto foi esta sexta-feira condenado a 12 anos e três meses de prisão por matar um hóspede, em fevereiro de 2014, e esconder o corpo numa arrecadação durante sete meses.

O arguido envolveu-se numa discussão com a vítima por lhe dever 750 euros em rendas e refeições e acabou por assassiná-la com "várias facadas". (Arquivo)

O arguido envolveu-se numa discussão com a vítima por lhe dever 750 euros em rendas e refeições e acabou por assassiná-la com "várias facadas". (Arquivo)

SIC

O arguido envolveu-se numa discussão com a vítima por lhe dever 750 euros em rendas e refeições e acabou por assassiná-la com "várias facadas". 

O suspeito, de 52 anos, guardou o corpo do hóspede num armário do quarto, tendo-o depois levado num saco para a arrecadação da pensão.

O corpo da vítima, de 54 anos, viria a ser descoberto sete meses depois do crime, em avançado estado de decomposição, por um hóspede que estranhou o "cheiro nauseabundo", chamando a PSP. 

"Uma vez cometida a pena, espero que não volte a ter problemas com a Justiça", afirmou o juiz presidente, durante a leitura do acórdão, no Tribunal São João Novo. 

Durante o julgamento, que iniciou a 19 de maio, o arguido assumiu o crime e referiu não se ter desfeito do corpo porque "não podia deitar fora o que Deus criara".

O advogado de defesa, Carlos Quaresma, referiu que a pena é "justa" e que o arguido teve "sempre a noção" que ia ser condenado. 

O arguido trabalha na cozinha do Estabelecimento Prisional de Custóias e, segundo o jurista, "pediu" para ser descoberto porque guardou o corpo da vítima na arrecadação e, meses depois, pediu a um hóspede para ir lá sabendo que o ia ver.

"Ele vive com esse problema de ter matado alguém, tanto que tem acompanhamento psiquiátrico porque continua a pensar nisso", frisou. 
Lusa
  • Alegado homicida de responsável de pensão no Porto ficou em prisão preventiva
    1:57

    País

    Ficou em prisão preventiva o homem que terá assassinado esta quinta-feira o responsável por uma pensão no centro do Porto. A companheira da vítima ficou gravemente ferida. O suspeito está indiciado por um crime de homicídio consumado e outro na forma tentada. O homem, que foi encaminhado para a pensão por uma assistente social, deixou de pagar o quarto porque ficou sem Rendimento Social de Inserção.

  • Derrame de ácido clorídrico na Nacional 1, em Gaia
    1:15

    País

    Um derrame de ácido clorídrico obrigou esta manhã ao corte da Nacional 1, em Vila Nova de Gaia, na zona de Pedroso. O ácido estava a ser transportado em embalagens de plástico, dentro de um pesado de mercadorias. Foi o motorista que detetou a fuga e pediu a ajuda dos bombeiros.

  • "Fiz coisas de que me envergonho"
    2:31
  • "É abusivo falar de fuga ao fisco"
    4:10

    Economia

    Dez mil milhões de euros é o valor de que se fala das transferências para contas offshore, que terão escapado à Autoridade Tributária. O número impressiona, mas é preciso notar que este dinheiro é capital que sai do país e o capital não está sujeito ao pagamento de imposto só porque sai do país. O fiscalista Tiago Caiado Guerreiro esteve no Jornal da Noite para dar mais explicações sobre o caso.

  • Número de mortos de atentado em al-Bab sobe para 60

    Mundo

    O atentado bombista de hoje na cidade de al-Bab (Norte da Síria), capturada na quinta-feira ao Estado Islâmico, fez pelo menos 60 mortos, de acordo com um novo balanço noticiado pela agência de notícias estatal turca Andadolu.