sicnot

Perfil

País

Relação confirma 24 anos de prisão para condenado por violação

O Tribunal da Relação do Porto confirmou a pena de 24 anos de prisão para o homem condenado em fevereiro pela prática de sete crimes de violação. Os casos remontam aos anos de 2011, 2012 e 2013, em Vila Nova de Famalicão, na ciclovia que vai até à Póvoa de Varzim. A relação confirmou na íntegra o acórdão da primeira instância.

De acordo com a informação publicada hoje na página da Internet da Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto, o Tribunal da Relação confirmou na íntegra o acórdão datado de 02 de fevereiro deste ano, do Tribunal da Instância Central Criminal do Porto (Vila do Conde, 2.ª secção criminal), que o condenara na pena única de 24 anos de prisão, pela prática de sete crimes de violação, um dos quais na forma tentada, um de roubo e um de violação de domicílio.

A PGD do Porto esclarece que os factos em causa se reportavam a crimes praticados em diferentes datas nos anos de 2011, 2012 e 2013, em Vila Nova de Famalicão, na ciclovia que liga Vila Nova de Famalicão à Póvoa de Varzim, em S. Miguel o Anjo, Maia, e em Fão, Esposende.

Em diferentes datas e em diferentes locais, "o arguido abordou mulheres, forçando-as a manter consigo trato sexual em seis das situações e não conseguindo concretizar este seu intento numa outra, porém por razões alheias à sua vontade", refere a nota da PGD do Porto.

"Resultou provado que o arguido cuja condenação foi agora confirmada atuou relativamente a vítimas cujas rotinas conhecia, aproveitando situações em que sabia que estas se encontravam sozinhas, atuando, em cinco casos, de madrugada ou às primeiras horas da manhã", acrescenta.

De acordo com a informação disponibilizada, "uma das mulheres tinha 82 anos e foi vítima do arguido em sua casa, onde vivia sozinha; outra foi vítima do arguido em duas datas distintas, ambas sucedidas às primeiras horas da manhã, quando a vítima iniciava ou dava curso ao giro diário exigido pela sua profissão".


Com Lusa
  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.