sicnot

Perfil

País

Base das Lajes pode vir a acolher centro de informações dos EUA

A Câmara dos Representantes norte-americana vota hoje o orçamento do seus serviços de informação, que suspende a construção de um complexo no Reino Unido até ser provado que a Base das Lajes não pode cumprir essa função.

(AP/ Arquivo)

(AP/ Arquivo)

LIONEL CIRONNEAU / AP

O novo complexo está planeado para a base de Croughton, em Inglaterra, e, ao reunir varias agências e organismos dos serviços de informação, será o maior deste género fora do território norte-americano.

A sua construção está orçamentada em 317 milhões de dólares, cerca de 281 milhões de euros.

O projeto poderá, no entanto, sofrer um entrave devido a uma alínea no orçamento dos serviços de informação, apresentado pelo congressista luso-descendente Devin Nunes, que proíbe a sua construção até ficar provado que a Base das Lajes não o pode acolher. 

O orçamento suspende ainda qualquer retirada norte-americana da base açoriana até existir essa certificação.  

"A Câmara dos Representantes já disse de forma clara que a base das Lajes deve ser reaproveitada. É alarmante que o Departamento de Defesa queira levar os contribuintes numa viagem louca, gastando centenas de milhões de dólares a construir em outros locais infra-estruturas que já existem nas Lajes", disse à agência Lusa Devin Nunes, que preside ao comitê dos serviços de informação da Câmara dos Representantes.

Caso o orçamento seja aprovado hoje, é necessário ainda passar pelo Senado e ser ratificado pelo Presidente dos EUA, Barack Obama, para se tornar lei.

A linguagem relativa às Lajes foi ainda incluída na lei orçamental da Defesa, Militar e da Construção Militar.

Hoje também se reúne, extraordinariamente, a Comissão Bilateral Permanente entre Portugal e EUA.

O encontro serve para debater a questão das Lajes e ficou decidido durante o último encontro desta comissão, que aconteceu a 11 de fevereiro passado, em Lisboa.  

Portugal estará representando pelo diretor-geral de Política Externa, Francisco Duarte Lopes, e pelo presidente do governo regional dos Açores, Vasco Cordeiro. 

A 08 de janeiro deste ano, o então secretário da Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, anunciou a redução de 500 efetivos da base aérea portuguesa nas Lajes.

No mesmo dia, o embaixador norte-americano em Lisboa explicou que o objetivo é reduzir gradualmente os trabalhadores portugueses de 900 para 400 pessoas ao longo deste ano e os civis e militares norte-americanos passarão de 650 para 165.



   Lusa

  • Rui Machete diz que há novo clima de diálogo com EUA sobre base das Lajes
    0:54

    País

    O ministro dos Negócios Estrangeiros diz que a visita de congressistas norte-americanos às Lajes, nos Açores, é um bom sinal. Os Estados Unidos anunciaram há mais de dois anos a intenção de reduzir o número de pessoal militar na base e desde então o governo português procura encontrar uma solução para minimizar o impacto da decisão na ilha Terceira. Rui Machete admite que o diálogo entre os dois países não começou bem, mas diz que agora há um novo clima nas negociações.

  • Portas admite abalo nas relações entre Portugal e EUA devido à Base das Lajes
    0:59

    País

    O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, afirmou que Portugal sentiu o primeiro impacto laboral nos Açores, devido à decisão dos Estados Unidos de reduzir a sua presença na Base das Lajes. Portas aproveitou ainda o facto de estar perante a presença do embaixador norte-americano, para dizer que este não é um dos melhores momentos nas relações entre os dois países, por causa da Base das Lajes.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.