sicnot

Perfil

País

Carro caiu ao rio em Lisboa, duas pessoas morreram

Carro caiu ao rio em Lisboa, duas pessoas morreram

Duas pessoas morreram esta madrugada, na sequência da queda de um carro no rio Tejo, em Lisboa. Um homem que terá entre 50 e 60 anos e uma mulher cuja idade é desconhecida foram encontrados sem vida no interior da viatura, como explica o comandante Comandante Cruz Gomes da Capitania do Porto de Lisboa. Não se sabe ainda o que terá motivado a queda do veículo.

O alerta foi dado por volta das 3 da manhã por um grupo de jovens que viu o carro cair ao Tejo. 

O veículo foi içado por uma grua pouco antes das 8:00. 

No local estiveram quatro mergulhadores dos Bombeiros Sapadores de Lisboa e Polícia Marítima. Estiveram envolvidos nas operações uma lancha, cinco viaturas dos bombeiros e duas ambulâncias.

A Polícia Judiciária já tomou conta da ocorrência. 

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.