sicnot

Perfil

País

GNR deteve 30 condutores e multou 315 durante a operação "moto"

A GNR deteve 30 condutores e multou 315 durante a operação "moto" realizada no domingo nas estradas com maior intensidade de tráfego de motociclos, indicou hoje a corporação.

(SIC/ Arquivo)

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana adianta que 12 condutores foram detidos por falta de habilitação legal para conduzir e 13 por excesso de álcool.

Durante a operação "moto", a GNR detetou 315 contraordenações, das quais 172 por excesso de velocidade, 31 por condução com uma taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei, 13 por falta de seguro e sete por falta ou incorreta utilização do capacete.

No domingo, cerca de mil militares da GNR reforçaram a fiscalização aos motociclos nas estradas com maior intensidade de tráfego destes veículos e onde há um risco acrescido de acidentes.

A operação teve como objetivo proporcionar aos utentes das vias uma maior segurança e sensibilizar os motociclistas para uma condução responsável. 

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.